Por que a Cruz? Por que a Morte de Cristo? – Parte 2

Deus nos ama (João 3:16) e quer que sejamos salvos do inferno (2 Pedro 3:9). Mas porque Deus também é justo e correto, Ele não pode deixar de punir o pecado. Alguém tem que pagar o preço. Em Sua grande misericórdia e amor, Deus providenciou o Seu próprio pagamento para o nosso pecado. Ele enviou o Seu Filho Jesus Cristo para pagar pela penalidade dos nossos pecados ao morrer na cruz por nós. A morte de Jesus foi uma morte infinita porque Ele é o infinito Deus-homem, disposto a pagar um débito infinito pelo pecado, para que não tivéssemos que pagar por essa punição no inferno por toda a eternidade (2 Coríntios 5:21). Se confessarmos nossos pecados, pedirmos pelo perdão de Deus, e colocarmos nossa fé em Cristo, seremos salvos, perdoados, purificados e receberemos a garantia de um lar eterno no céu. Deus nos amou tanto que providenciou um meio de salvação.

Ler mais

Os três Triângulos ou Tripés da Vida

Em nossa existência há alguns tripés que podem nos acompanhar. Para a Vida plena precisamos equilibrar e saber priorizar alguns pontos: Família (conhecimento); Trabalho; e Lazer. Aí temos o primeiro dos triângulos. No segundo triângulo notamos o problema dos “pecados” no mundo: o Dinheiro pelo dinheiro; “Drogas” como vício; e Prazeres pelo prazer. Estes são os maiores pecados que escravizam o homem. O terceiro triângulo é formado por nossas três Inteligências básicas: QI- quociente Intelectual; QE – Inteligência Emocional; e o QS – Inteligência Espiritual.

Ler mais

As Igrejas Cristãs devem manter as Convergências

Nota-se claramente, ainda que de maneira não tão declarada, que muitas denominações cristãs vêm imitando ou se espelhando nas práticas, doutrinas e atitudes de outras religiões cristãs, ou seja, uma espelhando-se na outra. Isso ocorre por exemplo com a Igreja Católica que desde os anos 1970 se “reinventou” e rememorou os tempos primitivos do Cristianismo com o Pentecostes, isso se dá com a chamada Renovação Carismática Católica, o que faz com que muitas missas e grupos de oração católicos se parecerem com verdadeiros cultos evangélicos.

Ler mais

Quem é Deus e quem somos nós?

A humanidade de uma maneira ou outra sempre buscou algo que o transcenda, ou será que o transcendente é que buscou a humanidade? Não estou afirmando a hipótese da existência de uma transcendência, estou relatando um fato histórico. Quanto à primeira situação, ou seja, o homem buscar a “Deus” ou deuses, não há o que se questionar, esse fato existe há milhares de anos. Agora e se a segunda hipótese for verdade, ou seja, Deus ou os deuses é que buscaram a humanidade?

Ler mais

Construindo Pontes ao invés de Muros

Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um rio, iam se visitar todos os dias à noitinha. As duas fazendas ficavam bem de frente uma a outra, eles podiam se ver, mas a distância não permitia um diálogo a não ser com o esforço de uma caminhada. Cada dia um deles caminha por longo tempo até chegar a uma ponte distante, atravessava a ponte e caminhava mais um tempo até encontrar-se com o outro irmão em sua fazenda.

Ler mais

Conversando sobre Deus

Não sei se sou ateu, se sou agnóstico, se acredito pouco ou se acredito imensamente em Deus. Não me considero uma pessoa de fé. Sempre vivi num imenso conflito íntimo, desconfiando de tudo e sendo até muito cético em muitos momentos de minha vida. Porém, às vezes tenho a convicção que Deus existe de fato, mas que se ausenta, escondendo-se, certamente por vergonha de sua criação. E este é um assunto que em minhas conversas com padres e pastores eu jamais consegui obter alguma resposta que me satisfizesse por completo. Eles sempre idolatram ou absolvem Deus por tudo, e até me culpam por ser questionador. Não acredito que Deus precise ou queira ter advogados em seu nome. Se fomos criados à sua imagem e semelhança, então, ao sermos questionadores, estamos sendo como Deus é.

Ler mais