Muro das Lamentações os Judeus em oração, Os judeus guardam o dia de Sábado.

Os Dias da Semana na Cultura Milenar da Suméria, Babilônia e nos Judeus

Como abordamos antes, na parte 1 deste texto, a origem dos nomes dos dias da semana está baseada em astros celestes que por sua vez são dados em homenagens aos deuses dos diversos povos que os cultuavam e os tinham como verdadeiros causadores de tudo no planeta terra. Nesta parte 2 do texto, vamos abordar sucintamente o caso da Suméria, Babilônia e o Sábado que entra com os Judeus.

Na Suméria

Os sumerianos foram os que desenvolveram uma das formas de escrita mais antiga das que temos conhecimento: a escrita cuneiforme. Cito isso para mostrar o avanço que este povo proporcionou ao mundo, de maneira a poder deixar registrado parte do seu conhecimento, o que não pode ocorrer com outros povos que não deixaram registros a não ser investigados pela arqueologia ou mesmo nas pinturas rupestres (estas há milhares de anos).

Quanto aos deuses sumérios e aos homenageados com um dia da semana temos:

1º dia, Domingo (Sunday): Shamash – Deus do Sol e da Justiça.

2º dia, Segunda-feira (Monday): Nanna – Deus da Lua.

3º dia, Terça-feira (Tuesday): Inanna ou Ishtar – Deusa do Amor e da Guerra.

4º dia, Quarta-feira (Wednesday): Ninurta – Deus da Guerra e da Caça.

5º dia, Quinta-feira (Thursday): Enlil – Deus do Vento e Senhor dos Céus.

6º dia, Sexta-feira (Friday): Enki – Deus da Sabedoria, Água e Conhecimento.

7º dia, Sábado (Saturday): Nergal – Deus do Submundo e da Morte.

Esses deuses eram muito importantes na mitologia e na cultura desse povo, e algo de suas tradições passaram para diversas outras culturas e civilizações do mundo. Sem dúvida, dedicar um dia da semana a eles, fez com que esses “deuses” não fossem esquecidos. No entanto, uma espécie de “sincretismo” foi atribuída e os nomes dos dias da semana foram transportados para outros deuses em suas diversas culturas.

Na Babilônia

A astrologia na babilônia foi muito marcante e com ótimos estudos para aquela época, também para eles cada uma das sete luzes no céu, com movimentos diferentes das estrelas, eram deuses e influíam na terra e no povo. Muitos dos deuses sumérios se mantiveram aqui na Babilônia, mas há alguma modificação como vamos ver logo abaixo. Outro ponto a destacar é que sem dúvida, parte da Babilônia, sai desta nação a cultura que passará à Grécia e por sua vez seguirá para Roma e daí para todo o mundo ocidental, portanto o nome dos deuses e a influência greco-romana é posteriormente disseminada para todo o Planeta.

Dessa maneira os nomes dos dias da semana em latim são a base para muitas línguas do mundo ocidental. Vejamos:

1º dia, Domingo (Sunday): Dia do Sol, ainda associado ao deus babilônico Shamash, deus do Sol e da Justiça.

2º dia, Segunda-feira (Monday): Dia da Lua, associado ao deus babilônico Sin ou Nanna, deus da Lua.

3º dia, Terça-feira (Tuesday): Dia de Marte, associado ao deus babilônico Nergal, associado à guerra.

4º dia, Quarta-feira (Wednesday): Dia de Mercúrio, associado ao deus babilônico Nabu, deus da sabedoria e da escrita.

5º dia, Quinta-feira (Thursday): Dia de Júpiter, associado ao deus babilônico Marduk, considerado o deus principal.

6º dia, Sexta-feira (Friday): Dia de Vênus, associado à deusa babilônica Ishtar, deusa do amor e da guerra.

7º dia, Sábado (Saturday): Dia de Saturno, associado ao deus babilônico Ninurta, deus da agricultura.

Foi a partir daí, dessa tradição babilônica, que foi difundida por gerações e civilizações diversas, os nomes dos dias da semana que chegaram até os nossos dias, em várias línguas e culturas que nem mesmo sabem o motivo da origem dos nomes dos dias da semana.

Com os Judeus

Os nomes dos dias da Semana na Cultura Judaica

O calendário Judaico teve sua origem por influência da cultura babilônica, como os judeus (os nobres judeus) foram deportados para aquela região no século VI a.C. eles passam a observar os dias da semana como aquele povo babilônico, que dividia uma semana em 7 dias, abaixo abordo esse tema com mais detalhes, tudo indica que foi dessa forma que há uns 500 anos antes de Cristo, os judeus “concluíram” o Gênesis livro das Origens ou Criação, e conforme este livro, vão dizer que Deus Cria o Mundo em 6 dias (conclui  e descansa no 7º dia). Daí a importância do Shabat (sábado) o sétimo dia, conforme Gn 2, 2-4

2Deus concluiu no sétimo dia a obra que fizera e no sétimo dia descansou, depois de toda a obra que fizera. 3Deus abençoou o sétimo dia e o santificou, pois nele descansou depois de toda a sua obra de criação. 4aEssa é a história do céu e da terra, quando foram criados.

Também dessa maneira passa-se a guardar este dia como um dia de descanso e dedicado ao Senhor. Conforme Ex 20, 8-11

8Lembra-te do dia do sábado para santificá-lo. 9Trabalharás durante seis dias, e farás toda a tua obra. 10O sétimo dia, porém, é o sábado de Iahweh teu Deus. Não farás nenhum trabalho, nem tu, nem teu filho, nem lua filha, nem teu escravo, nem tua escrava, nem teu animal, nem o estrangeiro que está em tuas portas. 11Porque em seis dias Iahweh fez o céu, a leira, o mar e tudo o que eles contêm, mas repousou no sétimo dia; por isso Iahweh abençoou o dia do sábado e o santificou.

A Cultura Ocidental

Lembramos que a Cultura Ocidental tem como base um “Quadri pé” que nos vêm da Cultura: Judaica, Greco, Romana e Cristã. Assim o mundo ocidental é produto dessa cultura Judaico-greco-romana-cristã. E um dos principais intermediários, no que tange ao tema em evidência, foi o Egito que baseado principalmente na cultura babilônica transmite esse conhecimento ao mundo greco e romano, que por sua vez passa ao resto do planeta terra ocidental.

Para os judeus os dias da semana não poderiam ter nomes de divindades, então eles usam apenas a ordem dos dias durante a semana, dizendo: primeiro dia, segundo dia etc. até o Sétimo dia que é o Sabat (ou Shabat).  Note que em português também é assim, a diferença é que se troca o nome do primeiro dia da semana e dá-se o nome de Domingo (dia do Senhor), como veremos, na parte 3 deste texto, onde abordaremos mais especificamente o nome dos dias da semana transmitidos pela Cultura Greco-romana e Cristã.

Seu comentário é sempre bem-vindo!

Deixe sua opinião ou comentário >
1
Deixe seu comentário!x

Abraço, Benito Pepe

Bibliografia e Referências Bibliográficas

BÍBLIA DE JERUSALÉM. São Paulo: Edições Paulinas, 1985.

PEPE, Benito. Origem dos Nomes dos dias da Semana. Disponível em: https://www.benitopepe.com.br/2024/02/17/origem-dos-nomes-dos-dias-da-semana/ Acesso em fevereiro de 2024.

5 1 Vote!
Article Rating
Se inscreva
Avise-me de

4 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Feedbacks em Linha
Ver Todos os Comentários
1 mês atrás

Parabéns Benito! Você conseguiu dar vida ao texto trazendo um assunto muito relevante, pouco explorado e abordando com muita sabedoria para fácil entendimento dos leitores. Show!!!

Benito Pepe
1 mês atrás
Responder a  Pedro Berto

Muito obrigado querido Pedro Berto!

Na Parte 3 (e última) deste texto, devo concluir trazendo as contribuições cristãs e algumas considerações finais, atualizando e refletindo com o nosso tempo.

Obrigado pelo comentário.
Abração, Benito Pepe

Ismael da Silva Mariano
1 mês atrás
Feedback no conteúdo do Post Deixe sua opinião ou comentário >" Leia mais »

Conhecimento sempre é bom e enaltece o homem,no caso vale a pena destacar a origem da cultura ocidental que vem do oriente , ou seja ,besteira falar em certo ou errado;superior/inferior!Viemos todos do mesmo lugar ,formamos a raça humana! Sugiro um estudo sobre como ficamos tão separados em islamismo e cristianismo.

4
0
Deixe seu Comentário...x
Rolar para cima