A Criatividade do Homem Brasileiro é Fantástica!

Um dia desses estava no meu carro com meus filhos e deparei-me com um jovem senhor puxando por uma cordinha um carrinho muito bem manufaturado feito de garrafas Pet. Veja a foto ao lado (clique para ampliá-la). O moço contou-me que estava desempregado e morando embaixo de uma ponte com sua família.  Não sei se isso foi mais um argumento e “malandragem” para ajudá-lo a vender seu produto através de sentimentalismos ou é fato real. Mas o que importa mencionarmos é a habilidade e criatividade deste artesão nato.

O brasileiro tem mesmo uma criatividade fantástica! Sabemos que isso se passa também em outros países da America latina e em muitos outros lugares do mundo, contudo é evidente que nos países que possuam o capitalismo como forma de governo haverá mais possibilidades do homem desenvolver sua criatividade e postura empreendedora como é nesse caso do senhor do carrinho de garrafas Pet.

Notamos que para esse artesanato foram utilizadas pelo menos 7 ou 8 garrafas Pet, elas devem ter sido localizadas, recolhidas,  limpas e manufaturadas com ferramentas simples, não se usou cola nem outros produtos a não ser as próprias garrafas Pet.

Imaginemos agora se um homem como esse é treinado, faça cursos de artesanato etc. Seria verdadeiramente um ápice.  Não há duvida que nossas habilidades são potencializadas quando treinamos, quando estudamos mais, quando fazemos cursos, assistimos a palestras, enfim enquanto nos aperfeiçoamos. Logo, fazer cursos, treinamentos e assistir a palestras elevam nossas habilidades às alturas.

Há quem diga que já sabe tudo e que não precisa treinar, pois não tem o que aprender. Para esses eu sugiro a velha frase do grande filósofo Sócrates: “Só Sei que Nada Sei”.  Quem pensa que tudo sabe na verdade não está pronto pra aprender e, portanto nada sabe…

Quando identificamos nossas habilidades e podemos procurar desenvolve-las, devemos fazê-lo, dessa maneira alcançamos o nosso máximo. Façamos nossos trabalhos sempre com amor, devemos desenvolver nossa criatividade e principalmente colocar em prática nosso potencial. Há muito potencial adormecido, há muita gente que sabe, mas pensa que não sabe, esse é o extremo do falso sábio aquele que pensa que tudo sabe. Aquele com excesso de humildade ou timidez não externa seu potencial perde oportunidades e deixa de compartilhar seu potencial com a humanidade.

Não podemos e nem devemos fazer isso. Não compartilhar é um ato de egoísmo, é “pensar” só em nós e guardar nossas habilidades pra que? Se um grande poeta não escreve e não compartilha seus textos o que se passará? Ninguém saberá e ninguém terá oportunidade de refletir com esse texto… Da mesma maneira uma bela voz que se oculta, um mágico que não se apresenta, um palhaço que não atua, etc.

Nós só vivemos depois que “acordamos”, enquanto estamos “sonhando” estamos dormindo…

Acorde! Exponha-se! Acredite em você! Desperte teu potencial! Não tenha vergonha, o mundo não é dos envergonhados é dos caras-de-pau, que diga o “Vivo” Pinóquio…

Abraços do Benito Pepe

Por que estou publicando Aqui? Por que Publicar Aqui?

Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário há mais de 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

12 comentários em “A Criatividade do Homem Brasileiro é Fantástica!

  • Pingback:Por que estou publicando aqui? Por que publicar aqui? | Benito Pepe - Treinamento de Equipes, Palestras e Cursos

  • em
    Permalink

    Olá Alberto, o teu tema é muito bom; quanto ao teu blog, acho que ele poderia ter mais páginas ou seja está muito longo, procure por as postagens com resumos e o famoso leia mais…
    Abraços do Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Meu querido amigo; Eu comparo a habilidade a sabedoria, que até certo ponto não precisa de cultura para serem desenvolvidas. Todos nós somos dotados de inteligência, cabe a cada um desenvolver o seu potencial. O povo Nodestino são verdadeiros artistas em matéria de artesanato, principalmente as mulheres rendeiras, que com suas almofadas e um objeto chamado chamado bilro, fazem verdadeiras maravilhas em renda, isto sem contar com o artesanato em palhas de carnaubeiras, onde são tecidas uma grande variedades de peças para várias finalidades, se você subir um pouco pelas cidades ribeirinhas do rio São Francisco, vamos encontrar verdadeiras obras primas,dos artesão de carrancas, e peças de barro que são feitas pelos oleiros, que vão alem da imaginação.A criatividade em Minas Gerais dispensa comentário, com as obras do grande escultor ALEIJADINHO.Não podemos deixar de citar a criação e habilidade dos carnavalesco na ornamentação das alegorias das escolas de samba. No interior do País vamos encontrar verdadeiros tesouros esculturais criado pelos nossos indigenas. Eu creio que se fosse criado uma forma de cada um desenvolver especificamente aquilo que o sujeito tem adormecido na sua mente, a habilidade e a criatividade ultrapassavam a barreira da imaginação, não só do Brasileiro como tambem outros povos.N.B. O meu comentário não é para estudantes de grandes centros de ensino, que se formam em engenharia, e outros tipos de ciências. São para pessoas que pouco estudaram,porem tem grandes poderes de demostrar suas habilidades e criatividades, no entanto, tem preguiça de ativar suas inteligências adormecidas, preferem viver ociosos, à mostrar suas capacidades. Mais uma vez um forte abraço do seu amigo.

  • em
    Permalink

    Olá meu grande camarada, os teus comentários estão elevando o nível do meu site eheh, Continue assim!! Bem, quanto a questão da criatividade do brasileiro é issmo mesmo que você falou, só vou acrescentar a questão de fazer aquilo que se gosta. Podemos notar facilmente que aqueles que fazem aquilo que gostam em suas atividades, além de eles viverem mais felizes fazem melhor o serviço. Costumo sempre lembrar o futebol, por ser tão próximo do brasileiro, aquele menino que tem talento e sorte de conseguir entrar em um time de futebol, vai ser jogador profissional, fazer o que gosta e ainda ganhar dinheiro com isso. É claro que quando agente toma algo que fazemos com prazer e o fazemos profissionalmente, surgem responsabilidades, tarefas e atribuições que muitas vezes não nos são agradáveis, mas fazem parte do contexto, é, por exemplo, o caso da concentração no futebol. Ou o caso da responsabilidade por um grupo de pessoas para quem viaja por prazer, no entanto faz isso profissionalmente, etc.

    A criatividade do ser humano é fantástica, sua paixão uma maravilha e seu trabalho é o seu trabalho, mas como dizia o poeta Gonzaguinha: “A vida é o trabalho e sem o seu trabalho se morre, se mata, não dá pra ser feliz, não dá pra ser feliz”

    Feliz do homem que usa sua criatividade e sua potencialidade com prazer e com renda…

    Abraços do Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Boa Noite, Benito!!!. Como vc, vê,a descoberta da logosofia, em torno do micróbio psicológico? Gostaria de saber sua opinião, pois eu não considero palpável a definição em torno da explicação dada. Analiso que ficou distante da lógica, o discernimento logosófico, deixando de lado a função instintiva do ser humano.

  • em
    Permalink

    Olá José Brígido, obrigado pela visitação repetida no meu site/blog. Bem, eu precisaria entender qual é o contexto que você questiona este ponto (logosófico) em relação à “criatividade humana” tratada neste meu texto acima?

    Preciso também esclarecer que não sou conhecedor da logosofia, vendo ela apenas como um estudo relativamente novo e que não faz parte dos currículos a níveis acadêmicos, no entanto não desprezo nenhum tipo de conhecimento, respeitando, portanto, todos os pensamentos tanto os vulgares, os religiosos, os filosóficos e os científicos. Mas me desculpe, não entendo nada de logosofia. Conto com a tua ajuda para eu entender esse assunto…

    Abraços do Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Assim como Pasteur um dia comoveu o mundo científico, ao
    demonstrar a existência dos micróbios físicos por detrás das
    epidemias que assolavam povos inteiros, a Logosofia faz agora
    outro tanto, ao assinalar os agentes extrafísicos que, por detrás
    das ações boas e más de homens e povos, existem e atuam
    como verdadeiros “micróbios” psicológicos.
    Estamos falando dos pensamentos, apresentados agora como
    entidades animadas autônomas, que podem num instante
    passar de uma mente para outra.
    Pela primeira vez, portanto, após séculos de reclusão nas
    sombras do ignoto, foi concedido aos pensamentos um lugar
    proeminente, ao serem tratados como corresponde à realidade
    de sua existência.
    Foi a sabedoria logosófica que iluminou tão curioso como
    prodigioso acontecimento, permitindo ao homem conhecê-los
    e identificá-los em seus impulsos e tendências.
    A Logosofia, ao expor seus conhecimentos,
    apresenta o que se refere aos pensamentos
    como um dos mais transcendentes e de vital
    importância para o homem
    Quando se fala de pensamento, é comum
    confundi-lo com a razão, a mente,
    a inteligência, a reflexão, a imaginação,
    etc., como se tudo tivesse a mesma função,
    e até são muitos os casos em que se
    toma uma coisa por outra, sem distinção
    alguma.
    Apesar de filósofos e sábios, tanto da
    Antiguidade como da idade moderna e
    contemporânea, haverem exercido a faculdade
    de pensar, nenhum deles jamais
    atribuiu vida própria aos pensamentos,
    nem declarou que pudessem reproduzir-
    se nem ter atividades dependentes e
    independentes da vontade do homem.
    A experiência no campo logosófico
    mostra que os pensamentos, à semelhança
    do que ocorre com as pessoas,
    têm atuações próprias. Assim sendo, podem
    chegar à mente de um homem e
    exercer ali uma determinada influência,
    às vezes sem que a consciência desse homem
    perceba isso.
    Trata-se de entidades animadas autônomas,
    que podem passar num instante de
    uma mente para outra, sendo necessário
    que toda pessoa aprenda a diferençar os
    que são próprios dos alheios, a repelir
    os maus e ficar com os bons. Mas não se
    deve crer que essa seleção seja tão fácil,
    nem que baste simplesmente querê-lo:
    há pensamentos que são pouco menos
    que donos da vida, e o homem se submete
    a eles mansamente, pois costumam
    ser mais fortes que sua vontade.
    No caso dos pensamentos negativos, os
    conhecimentos da Logosofia atuam como
    verdadeiros “antibióticos” mentais,
    eliminando esses “micróbios” psicológicos
    que fazem a infelicidade humana.
    Com atuações próprias, como as pessoas
    Ao falar sobre os pensamentos como
    entidades individuais, a Logosofia fixa
    o caráter especificamente celular deles
    e até apresenta à observação a semelhança
    que existe, nos seus respectivos
    campos de ação, entre os pensamentos
    e as células propriamente ditas, como
    “organismos viventes”.
    Estudando-se a vida, a atividade, a procriação,
    etc., dos pensamentos, ver-se-á
    que, comparados às células fisiológicas,
    eles procedem mais ou menos de
    forma análoga.
    “Não sou capaz de matar uma mosca!”
    “Não vou esta noite ao teatro”, pensa
    o homem.
    Vem-lhe, porém, um pensamento à
    mente, recordando-lhe uma peça interessante
    que vai estrear; busca o
    jornal para se informar a que horas
    começa e, esquecendo o que pensou
    primeiro, vai solícito, levado pelo
    pensamento que influenciou seu
    ânimo, sentar-se na plateia, como
    se nada tivesse acontecido.
    “A partir de hoje não farei mais isso”,
    diz aquele que, como o jogador,
    o alcoólatra, etc., cai na armadilha
    do vício; mas os pensamentos
    afins voltam, com maior violência,
    a excitá-lo e induzi-lo a continuar
    na mesma vida.
    “Não sou capaz de matar uma mosca!”, exclama
    o bom homem que, um dia, num arrebato
    de indignação, ergue a mão e mata
    quem o ofendeu.
    Mas… seria a razão a que atua em cada uma
    destas circunstâncias? Ou talvez a consciência?
    Ou o sentimento?
    “Não sejamos ingênuos, por Deus!”, haveria
    de dizer Voltaire, “crendo que essas coisas
    nós as fazemos em são juízo!”
    Por outro lado, nada de pôr a culpa no destino.
    E, por não ser ele quem se compraz em
    brincar assim com a vida humana, pois seria
    uma insensatez pensar tal coisa, devemos admitir
    que, mais perto de nós, algo atua com
    diligência e rapidez, e esse algo não pode ser
    outra coisa que os pensamentos.
    Verdadeiras potências do espírito
    Admitamos, então, que são eles, os
    pensamentos – não no conceito
    ambíguo e errôneo que a generalidade
    tem deles, mas sim tais quais
    eles são na realidade – quem impera
    no mundo mental em que vivemos.
    Se não nos preparamos para
    buscá-los, descobri-los e dominálos,
    não seremos outra coisa senão
    joguetes de suas hábeis manobras,
    e nessas condições não poderemos
    esperar nunca o desfrute de uma
    verdadeira felicidade.
    A diferenciação que fazemos entre a função
    de pensar e os pensamentos é extremamente
    necessária para o ordenamento das atividades
    da inteligência e, sobretudo, para que se
    possa ter uma visão clara a respeito de como
    o ser deve se comportar no emprego das próprias
    opiniões e juízos.
    Por estas e tantas outras razões, estudadas todas
    elas pela Logosofia, os pensamentos são
    os agentes essenciais da existência humana.
    Superados, convertem-se em verdadeiras potências
    do espírito.
    “Pensamento” é diferente de “pensar”
    Com o aprendizado desses conhecimentos,
    não perigará jamais o equilíbrio
    nem a estabilidade psicológica do indivíduo.
    Defendido dos desagradáveis enredos
    próprios dos estados mentais inferiores,
    ele saberá esgrimir melhor suas
    defesas contra o complicado jogo dos
    pensamentos que povoam os ambientes
    que frequente, sem temer os perigosos
    enlaces com as ideias enganosas e os
    pensamentos vulgares.
    O princípio consciente do conhecimento
    da vida radica na distinção, pelo ser
    humano, entre os pensamentos e a função
    de pensar, o que pode acontecer já
    na infância. Ao fazer essa distinção, a criança
    ou o adulto se põe em condições
    de perceber, dentro de si, os movimentos
    dos pensamentos como entes autônomos
    que antes dominavam a mente,
    dando a falsa noção de que se usava a faculdade
    de pensar.
    E precisamente nessa distinção entre
    mente e pensamento, entre a função de
    pensar e a ação de entidades autônomas,
    está, segundo a Logosofia, o ponto de
    partida para o conhecimento da psicologia
    humana, para o conhecimento de
    si mesmo, que implica, também, o conhecimento
    do próprio espírito.

  • em
    Permalink

    Caro Amigo!!! O titulo é, A estupenda descoberta dos “micróbios psicologicos”, particularmente, achei não atenuante com a lógica. O ser humano é dotado de razão e instinto.

  • em
    Permalink

    Olá José Brígido é bastante interessante, esta logosofia, mas preciso repetir que não faz parte dos meus estudos e nem dos meus objetivos para o momento. Quem sabe no futuro.
    De qualquer maneira achei pertinente.

    Obrigado pela dica e ensinamento.
    Abraços do Benito Pepe

  • em
    Permalink

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkm uma bosta

  • em
    Permalink

    Olá Jeremias, publique o seu trabalho pra vermos…
    Abraços, Benito Pepe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.