Feliz ano Novo Litúrgico

Este ano eu desejei Feliz Ano Novo para algumas pessoas, entre elas, a minha mãe que acabou sem querer me estimulando a escrever este texto. Todos sabemos que o ano novo no calendário do mundo ocidental foi convencionado iniciar no dia 01 de janeiro e terminar no dia 31 de dezembro, mas mesmo este já foi alterado durante a história da humanidade.  Bem, no entanto o objetivo aqui é o Ano Novo Litúrgico, então vamos a ele.

Quem é Cristão e especialmente Católico, sabe que temos um Calendário Litúrgico e que durante esse “ano litúrgico” vemos muitas das passagens mais importantes da Bíblia tanto do Antigo como do Novo Testamento. O ano litúrgico se inicia com a preparação para a Festa do Natal (Nascimento de Jesus Cristo) e isto se dá com as 4 semanas que antecedem o Natal e são de preparação para a grande festa, as chamadas Semanas do Advento. O Ano Novo Litúrgico começa na primeira Semana do Advento.

Nota-se, portanto, que temos etapas e festividades diferentes durante o ano litúrgico. Vamos ver quais são elas? Muito bem! Iniciamos o ano litúrgico com a preparação da Vinda de Cristo (Tempo do Advento – adventos quer dizer chegada vinda) nestas semanas que antecedem ao Natal (nascimento) relembramos também as passagens bíblicas quanto a Segunda Vinda de Cristo. Estas 4 semanas terminam no dia 24 de dezembro que já se comemora o Nascimento de Jesus Cristo, Depois temos:

Tempo do Natal, este tempo de Natal vai da véspera do nascimento do Mestre Jesus Cristo (24 de dezembro), passa pelo dia 06 de janeiro, esse é o dia em que os três reis magos, Baltazar, Gaspar e Melchior chegaram à Belém cidade onde nasceu Jesus, por isso temos o dia de Reis, e em muitos países é o dia em que se trocam os presentes lembrando do dia que Jesus recebeu também os seus presentes: Ouro, Incenso e Mirra (Ouro lembrando Sua Realeza, Incenso Sua Divindade, e Mirra Sua Humanidade). Há aqui uma diferença na comemoração do Batismo de NS Jesus Cristo, enquanto no cristianismo oriental, o batismo de Jesus é comemorado no dia 6 de janeiro, na Igreja Católica, na Anglicana e em outras denominações ocidentais, o batismo é comemorado no domingo seguinte ao dia de Reis (dois domingos após o Natal) e é a Epifania do Senhor (palavra de origem grega epipháneia, que significa aparição, manifestação) e aí sim termina o Ciclo Natalino, para Epifania são considerados três eventos: a epifania dos Magos do Oriente, o Batismo de Jesus por João Batista no Rio Jordão, e o Milagre das Bodas em Caná da Galileia – transformação da água em vinho, primeiro Milagre de Cristo. Depois entramos no primeiro ciclo do tempo comum.

Abro aqui um parêntesis para mencionar que durante os ciclos destacados temos o chamado Tempo Comum ou ciclo comum. Ele está dividido em duas partes, a primeira começa na segunda-feira após o batismo de Jesus Cristo e acaba na terça-feira antes da quarta-feira de Cinzas, a segunda parte começa na segunda-feira após Pentecostes e vai até o sábado anterior ao 1º Domingo do advento quando começará novamente o Ano Novo litúrgico.

Falamos agora da preparação para o tempo mais importante da Fé Cristã que é a Páscoa, para isso passamos pelo Tempo da Quaresma, este é fácil dizer quantos dias têm, se você disse 40 acertou, pois quaresma vem de quarenta, aliás temos esse número (40) diversas vezes na Bíblia, Deus fez chover 40 dias e quarenta noites nos tempos de Noé, Moisés passou 40 dias em jejum no Monte Sinai, o Povo de Israel passou 40 anos no deserto após a libertação da escravidão no Egito, 40 dias Jesus passa no deserto, ou seja, o número quarenta está relacionado a período de preparação. No entanto o ciclo total da quaresma inclui a Semana Santa e vai até o Domingo de Páscoa ou Domingo da Ressureição. A quaresma começa na 4ª feira de cinzas (após o Carnaval) e contando-se quarenta dias temos o Domingo de Ramos, que é quando Jesus entra em Jerusalém para comemorar a Páscoa Judaica, pois Jesus era Judeu. Esta Semana em que Jesus entra em Jerusalém pela última vez é a chamada Semana Santa e vai até a Pascoa de Jesus Cristo (Paixão, Morte e Ressurreição).

No final deste ciclo temos o Tríduo Pascal que começa na Quinta-feira Santa quando temos a Missa do Lava Pés e é quando Jesus faz a última ceia, a Santa Ceia e Institui a Eucaristia. Como é um tríduo, então são três dias, o segundo dia é a Sexta-Feira Santa, dia de recolhimento, é o dia em que Jesus foi morto em uma cruz, celebra-se a paixão e morte de Jesus Cristo, no terceiro dia na Noite do Sábado Santo (o que já corresponde ao dia seguinte) é a grande Festa da Páscoa (Ressureição de Jesus o Cristo) a Festa mais importante do Cristianismo.

Então estamos agora no tempo da maior festa para os Cristãos o Tempo Pascal, teremos agora 50 dias até o Domingo de Pentecostes (penta lembra 5 – no caso aqui é 50) neste dia comemora-se a volta de Cristo ao Pai e Jesus antes de partir deixa o Paráclito, o Espírito Santo. São 7 semanas de muita alegria e júbilo.

Passamos novamente por um tempo comum, teremos o último domingo deste ciclo com a solenidade de Cristo Rei do Universo e no outro e próximo domingo então já entramos novamente no ano novo e nas semanas do Avento até o próximo Natal.

Tempo Comum

Como disse antes o Tempo Comum está entre os Ciclos Especiais, temos a  maior parte do tempo o chamado “tempo comum” o que nos dá umas 33 ou 34 semanas, como sabemos o ano tem 52 semanas, portanto o maior dos ciclos é do chamado Tempo Comum, mas de comum não tem nada pois todos os dias a igreja faz leituras bíblicas sempre de um trecho do antigo e do novo testamento além dos salmos e cânticos que são entoados e da palavra compartilhada e contemporizada na homilia. Como vimos o Ciclo Comum está entre o Tempo de Natal e a Quaresma e depois está entre a Páscoa e o Advento, aqui recomeça mais um Ano Novo.

Observamos que as leituras de toda a Bíblia Sagrada duram três Anos, então os católicos se acompanharem todas as missas diárias (ou fizerem suas leituras em casa) em todos os ciclos, terão feito uma leitura da bíblia toda a cada 3 anos (dessa maneira os católicos praticantes podem ter um bom estudo bíblico desde que o queiram). A igreja divide cada ano para um tipo de leitura tendo como classificação os anos: A, B e C para cada um desses anos temos um tipo de leitura, onde é definida as partes da bíblia que serão lidas nas Santas Missas.

Fiz aqui apenas um esboço, um pequeno resumo do ano litúrgico, pois se eu fosse detalhar, todas as festividades, cor das vestimentas, as leituras dos anos A, B e C e outros detalhes, este texto ficaria longo de mais, como meu proposito era somente desejar um Feliz Ano Novo, espero ter cumprido com a Missão. Então Boas Leituras neste Novo Ano, boas meditações e Feliz e abençoado Ano Novo pra Você.

Abraços, Benito Pepe

Veja um Calendário litúrgico que vai até o ano de 2030

Calendário Litúrgico Clique na Imagem para amplia-la

Benito Pepe

Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica em: Administração de Empresas, com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião e Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

0 0 Vote!
Article Rating
Se inscreva
Avise-me de
2 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Feedbacks em Linha
Ver Todos os Comentários
Carlos Santos
3 meses atrás

Eu confesso que não sabia de tão grande diversidade e riqueza sobre este calendário da Igreja. Tive uma surpresa agradável estudando este e outros textos falando sobre o ano litúrgico e pude perceber que a igreja Católica é muito mais rica em seus rituais, cerimonias e culto do que eu pensava que fosse, parabéns pelo estudo e me fazer pensar mais nesse campo.
atenciosamente, Carlos Santos.

2
0
Deixe seu Comentário...x
()
x