O que é Páscoa, qual a origem da Páscoa?

Qual a origem da Páscoa? Este Artigo eu já havia publicado há alguns anos atrás, hoje faço uma nova edição e o republico incluindo alguns pontos que foram questionados ou levantados pelos leitores da edição anterior, e complemento com outros dados. A Origem da Páscoa não é nenhum mistério, mas é milenar.
Esteja à vontade para comentar, questionar ou completar algo mais…

Começamos com o Carnaval, depois vem a 4º feira de Cinzas, em seguida inicia-se a Quaresma, vem a Semana Santa e por fim o triunfo do Cristianismo: a Páscoa! Mas há uma história aí… e algumas perguntas surgem, vamos vê-los incluindo a origem da Páscoa:

O que é Quaresma?

A Quaresma são os 40 dias que antecedem ao Domingo de Ramos (início da Semana Santa) que triunfa no Domingo da Páscoa Cristã. A Quaresma começa na 4º feira de cinzas logo após o carnaval.

O que é Semana Santa?

A Semana Santa é aquela semana que os Cristãos relembram a entrada, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo em Jerusalém, ele teria entrado em um domingo que precede a 6º feira que ele fora Crucificado (6º feira Santa) Alguns Cristãos relembram a reverência que foi dada ao mestre Jesus através de uma saudação com Ramos e folhas de Palmeiras lá em Jerusalém quando Jesus entrou na Cidade. É o chamado Domingo de Ramos, as pessoas vão à missa e levam para suas casas um pedaço de ramo como lembrança.

Vamos então a pergunta principal deste artigo… Qual a origem da Páscoa?

O que é Páscoa, quando surgiu a páscoa? Ou seja: Qual a origem da Páscoa?
Antes de tudo faço um pequeno parêntese para falar da etimologia da palavra “Páscoa” que vem do aramaico pasha, ou pelo hebraico pesach, de significado discutível: para uns, deriva do hebraico pasah (saltar, pular, “Passagem”), originalmente referente a uma dança ritual; para outros, significa a passagem do sol por seu ponto mais alto numa certa constelação. No livro do Êxodo (Ex 12:13-22) a palavra relaciona-se à noite em que Iavé feriu os primogênitos do Egito e poupou (ou “saltou”) as casas de israelitas, cujas travessas das portas estavam pintadas com o sangue do cordeiro pascal. (posteriormente esse cordeiro – imolado a Deus – deixa de ser um animal e passa a ser o próprio Jesus Cristo o cordeiro imolado a Deus, pelos pecados da humanidade).
Feito esse parêntese é interessante lembrar que muitos de nós ficamos felizes com a Semana Santa, com a Páscoa, momentos de nos confraternizar, nos alegrar, de dar e receber Ovos de Páscoa… Mas porquê isso? Bem, para quem ao menos gosta da História, dos símbolos e da essência dos fatos e atos ocorridos, vale continuar a leitura…
Origem milenar…

Já há alguns milênios (3,5) os Judeus já comemoravam a Páscoa. Mas como? Jesus Cristo não havia nem mesmo nascido! É verdade. No início, as comemorações da “Páscoa” já eram nesta época do ano: Março ou Abril (primavera no hemisfério norte) inicialmente era para comemorar as colheitas. Era, portanto, a festa das colheitas. A alegria de festejar e “bebemorar” com o sucesso de um período trabalhado e seus frutos (na verdade a festa da colheita era 50 dias após a páscoa). (1)

Muito bem! Mas os Pais religiosos dos Cristãos, os Judeus, foram escravizados no Egito (Império naquela época). Permaneceram como escravos muitos anos… Até que, com ajuda de Deus, conseguiram sair da escravidão e voltar à terra prometida e foi o que ocorreu por coincidência ou projeto Divino também nesta mesma época da Páscoa e, assim, então, a comemoração mais importante dos Judeus passou a ser a da Passagem (Páscoa), do Êxodo, da libertação da terra do Egito.

E a Páscoa Cristã?

E agora onde está a Páscoa Cristã? A nossa Páscoa (passagem), que é, sem dúvida, a maior Festa e a maior comemoração de todas as festas Cristãs, ocorre exatamente neste mesmo período do ano, pois mais uma vez por coincidência ou projeto Divino, se passa também nesta época.

O Verbo (eterno) que é a palavra, se fez carne e veio habitar entre nós e após um pequeno período aqui na terra (3 anos) nos mostrou que nós também somos eternos, pois o que vivemos é uma Páscoa, ou seja, uma PASSAGEM! Assim sendo, Jesus o Cristo nos mostrou que aqui é apenas um local de passagem e acima de tudo é um lugar de Aprendizagem. Portanto o mais importante não é o que construímos materialmente, mas, sim, o que construímos espiritualmente. Jesus, após ser crucificado e morto, na época da festa da Páscoa judaica, pois ele havia ido até Jerusalém para as comemorações judaicas do êxodo (ele também era Judeu), Ressuscita no 3º dia e aparece aos seus discípulos algumas vezes.

Portanto, os “Cristãos”, comemoram esta época do ano como a maior de todas as festas, assim, ela é mais importante que o próprio Natal (“Nascimento de Jesus”). O Calendário Gregoriano conta os anos desde o nascimento de Cristo, mas na verdade a contagem mais “importante”, e que devem totalizar uns 1975 anos de comemorações, é a Páscoa Cristã.

É bom lembrar que toda missa de domingo ou alguns cultos é a celebração da Páscoa Cristã e nela é relembrado este sacrifício de Cristo, sua morte e ressurreição. O Domingo é Santo pois foi o dia em que Jesus Ressuscitou!

E o que significam os símbolos da páscoa?

Para quê os Ovos de Páscoa, e o Coelho de Páscoa…? Mais engraçado ainda é a musica: “coelhinho da páscoa o que troces p’ra mim, um ovo”… (coelho não bota Ovo!…) De qualquer maneira o raciocínio é sempre lógico como também às vezes é a Fé! Como para os Cristãos a verdadeira Vida é a Vida após esta Páscoa (Passagem) assim temos que comemorar essa nova Vida! E o que é melhor para simbolizar a vida do que o Ovo?! E o Coelho.. é lógico! Como o bichinho procria, não é mesmo? Bem, devemos lembrar também que os fatos e símbolos foram incididos em um outro mundo – o chamado mundo velho (berço da humanidade) – e com Suas Culturas, portanto também é importante lembrar que tudo em História se deve Contemporizar.

Na realidade esses símbolos que o Cristianismo “toma como seus”, eram símbolos pagãos. O Ovo para os egípcios, hindus, chineses, entre outros povos milenares era e é um símbolo da Vida, e até mesmo da Origem da Vida de alguns deuses e do próprio Universo (eles eram e muitos ainda são politeístas). O Coelho representa também a fecundidade, a fertilidade, a vida! Também se sabe que o Coelho simbolizava a Lua. A data da Festa da páscoa é definida pela lua, e é após a 1ª Lua cheia depois do início da Primavera no hemisfério norte e do outono no hemisfério sul; esse é o Domingo de Páscoa! Ocorre portanto próximo a um equinócio.
Mas  o que mais importa…
De qualquer forma o que importa é o coração e a mente do Cristão, entender esses símbolos deve ser acima de tudo um “saber” de como a História sempre será contada pelo “vencedor”! Esse fato de nós do mundo ocidental incorporarmos símbolos e representações pagãs à nossa Fé, ocorre em outras ocasiões como a própria data do nascimento de Jesus Cristo que, por não se saber qual é a data correta, se definiu, ou melhor permutou-se uma outra data pagã a “Festa do Sol” tornou-se o Natal (nascimento de Jesus) e nós nem nos lembramos disso… O Vencedor faz com que sejam esquecidas (ofuscadas) as outras datas e simbolismos antigos.
 Concluindo…
O mais importante é que a Passagem (ou pulo) por esta Terra, por este Planeta, é o que temos consciência neste momento, quanto ao futuro temos a Esperança. Páscoa, portanto, é a passagem, mas não só a passagem desta vida para outra, contudo de toda a passagem por esta Vida, com todos os seus anos de Conhecimentos, Aprendizagens, Vivências e Experiências. Assim, a Páscoa é, em suma, a comemoração da VIDA! E Pela Vida!…

Feliz Páscoa para Você! Espero ter esclarecido qual foi a bela Origem da Páscoa.

Abraços do Benito Pepe


Nota:
(1) Os cinquenta (50) dias após a Páscoa Cristã, se referem ao Pentecostes que foi quando Jesus Cristo deixa o Espírito Santo aos Apóstolos. Mas anteriormente na época precedente aos próprios Israelitas as “festas” eram distintas: Páscoa e Ázimos. O Ázimo era uma festa agrícola que começou a ser celebrada somente em Canaã e só foi unida à festa da Páscoa posteriormente.
Mais detalhes vide Textos e Notas de Rodapé da Bíblia de Jerusalém (edições Paulinas).

Bibliografia
BÍBLIA DE JERUSALÉM. São Paulo: Edições Paulinas.
Enciclopédia Barsa Planeta Internacional.

Benito Pepe

Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica em: Administração de Empresas, com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião e Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

5 1 Vote!
Article Rating
Se inscreva
Avise-me de
31 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Feedbacks em Linha
Ver Todos os Comentários
Anonymous
12 anos atrás

Interessante o modo como foi abordado o tema “Páscoa”. Foi uma forma despregada à religião de Certa forma… Não estou dizendo que foi uma forma pagã, mas Benito Pepe não se amarrou nessa ou naquela religião deixando o leitor à vontade.
Parabéns!

Benito Pepe
12 anos atrás

Este que segue abaixo é um pequeno texto de minha autoria que está sendo publicado em um Jornal, quase uma Revista, no Espírito Santo Chamado “Turismo & Serviços”, para esta Páscoa.

Semana Santa, Páscoa!! Mais um Feriadão?

Feliz Páscoa! Mas o que é Páscoa, é só mais um feriadão? Será que é apenas um dia de confraternização, de dar e ganhar ovos e coelhinhos de Páscoa, bombons e tantos outros chocolates?

Bem, para quem gosta de refletir, questionar enfim, quem é um filósofo por Natureza, não deixa “passar em branco” Esta e nenhuma outra data sem lembrar-se o por quê dela…

Então, como nós somos um país predominantemente de Cristãos, não precisamos dizer que a Páscoa nos faz relembrar a principal e mais importante de todas as festas do Cristianismo: a morte e a ressurreição de um Mestre chamado Jesus Cristo. Por Cristo – Cristianismo – Cristão.

As questões de reflexão que aqui deixo são as seguintes: somos ou não Cristãos? Cremos ou não em Deus?

Bem, se você é ateu, agnóstico, ou de outra Religião que não seja Judeu nem Cristão, tudo bem, essa páscoa não tem importância Religiosa para você, mas se você “Acredita” em Deus e é Cristão o que adianta dizer: Deus existe; eu acredito em Deus! Mas você vive como se Ele não existisse…

Agora, independente de Religião, sejamos ou não Cristãos, devemos sempre respeitar a Fé e as Crenças das pessoas. A propósito é bom lembrar que os Cristãos são “apenas” 33% do planeta e estão concentrados no que chamamos o mundo Ocidental. O “nosso mundo” é diferente, mas não é melhor nem pior, é diferente!!

Neste período de Semana Santa, não tenhamos mais um feriadão como qualquer outro, pensemos um pouco, paremos para refletir o mundo, as diferenças e principalmente as Convergências para nós que estamos do “mesmo lado”, não só nos confraternizemos, mas acima de tudo nos amemos verdadeiramente… “amai ao próximo como a si mesmo…”

Feliz Páscoa e boa Reflexão!!
Abraços do Benito Pepe

Anonymous
12 anos atrás

É bom lembrar que foi infiltrado ritos pagãos na festa cristã; mas lembrando que muitos pessoas não celebra dessa maneira, preferindo lembrar de maneira que a palavra de Deus não seja adulterada.
A pascoa era celebrada com pães asmo, ervas amargas e imolava um cordeiro sem mancha e sem mácula (representando sem defeito)para o sacrificio a Deus pedindo perdão pelo seus pecados, um dia de reflexão e mudança de vida não somente nesta semana mas o ano inteiro ( saída da escravidão do pecado e viver em liberdade sob a vontade de Deus (retornar-mos para Deus). Jesus é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo(1 João 2-1,2) , somente aquele que o aceitar será salvo (João 3.16)

Anonymous
12 anos atrás

É bom lembrarmos que Jesus deu sua vida pelo mundo para simbolizar o último sacrifício tornando-se o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.Sacrificou-se por nós na sexta- feira e por isso que ficou conhecida “sexta- feira da paixão”, mas triunfou no domingo de páscoa, vencendo a morte para que hoje tenhamos vida e vida em abundância.Portanto reflita não só na semana de páscoa, mas por toda sua vida.
Que o senhor Jesus te abençoe.

Anonymous
12 anos atrás

Olá! Adorei seu texto sobre a Páscoa! Agora, só uma perguntinha curiosa com intenção de colaborar…vc já parou pra verificar se os três dias em que Jesus ficou morto antes de ressuscitar estão corretos? Conte comigo: Ele morreu quase à hora sexta de sexta-feira, na hora sexta de sábado completou o 1º dia, na hora sexta de domingo, o 2º dia e na hora sexta da 2ª feira foi q completou o 3º dia. Como explicar isso se as escrituras dizem que “no 1º dia da semana (no domingo) algumas mulheres foram bem cedo ao sepúlcro e Jesus já havia ressuscitado?”

31
0
Deixe seu Comentário...x
()
x