Dicas e orientações financeiras para se ter uma vida mais tranquila

Fazendo seu orçamento financeiro só assim você terá uma vida mais tranquila.
Faça seu orçamento Financeiro

Querido leitor, neste artigo pretendo apresentar algumas dicas e orientações financeiras para se ter uma Vida mais Tranquila e que acredito sejam muito úteis e que as pratiquei e ainda pratico em minha vida. Certamente funciona para todos que se dediquem a efetivá-las e tenho certeza de que vai funcionar para você, desde que siga essas dicas e orientações. São dicas simples mas que mudarão a sua vida já no presente e principalmente no futuro para que você tenha mais tranquilidade no que tange às questões financeiras e viva mais feliz quanto a este assunto que é um dos problemas que devemos eliminar ou ao menos minimizar em nossas preocupações.

Uma mulher está com uma Calculadora e um caderno fazendo contas enquanto outra pessoa conta dólares.  Estas são dicas e orientações financeiras para se ter uma vida mais tranquila.

Vamos então ao primeiro ponto: procure gastar menos do que ganha, Você só ganha aquilo que você não gasta. Conversando com meu irmão Luís Cláudio há alguns anos ele proferiu esta frase que me fez escrever um artigo que você pode ler clicando no link acima.

Isto parece óbvio, no entanto muitos não entendem sua obviedade. A questão aqui é simples: se você recebe (tem de entradas) por exemplo R$ 4.000,00 e gasta os R$ 4.000,00 que recebeu você não ganhou nada pois ficou no zero a zero. Outro exemplo pior ainda: você gasta mais do que recebe e então precisa se endividar, pagar juros, entrar no cheque especial ou pegar empréstimos para quitar suas dívidas, neste caso a tua situação é a pior possível, você precisa sair disso o mais rápido que puder. Não me refiro aqui a “dívidas” que na verdade poderíamos chamar de investimentos como é o caso de adquirir um imóvel, um terreno ou outro bem que possa valorizar e te trazer renda passiva (renda passiva é toda renda que você tem sem precisar trabalhar; a renda com  o seu trabalho se chama renda ativa), esse investimento que pode gerar renda passiva é positivo e vou falar dele mais à frente.

Refiro-me antes aos gastos supérfluos, desnecessários ou extravagantes, estes devem ser eliminados ou ao menos deixados para alguns momentos de nossa vida pois ninguém aqui quer falar de avareza ou miséria de vida. Claro que vez ou outra podemos extravagar um pouco, isso faz parte da vida e precisamos viver, o que eu quero falar aqui é do gasto extra todo mês, toda semana e para muitos todos os dias, e sem necessidade, aí não dá, quem vive assim como se o mundo fosse acabar hoje talvez não tenha o amanhã mesmo.

Então vamos completar este primeiro ponto: para ganhar é necessário gastar menos do que se recebe, tudo bem até aqui? Ok sei que você entendeu! Agora, se você recebe os R$ 4.000,00 do exemplo acima e gasta R$ 3.000,00 (por exemplo) então você ganhará R$ 1.000,00 todo mês o que lhe dará R$ 12.000,00 em um ano; e R$ 60.000,00 em 5 anos; e R$ 120.000,00 em 10 anos. Uma grana já razoável sem considerar as correções e aplicações que você pode fazer para multiplicar esses valores, entendeu?

Em um Segundo ponto de dicas e completando a primeira: viva com um padrão um pouco abaixo da sua realidade.

Não gastar mais do que ganha é uma das dicas e orientações financeiras para se ter uma vida mais tranquila.
Não gaste mais do que “ganha”

Você entendeu que deve gastar menos do que ganha, mas deve estar pensando: Isso é Difícil! Eu sei que para muitos isso é difícil, sabe por quê? Porque quase ninguém consegue ficar e viver com um padrão de vida menor do que a sua renda auferida.  Se a pessoa “ganha” R$ 10.000,00 ela quer viver com um padrão de R$ 10.000,00 ou pior ainda quer viver como se recebesse R$ 15.000,00 e isso é o mais normal de se ver: pessoas vivendo acima de seu padrão real e pior ainda gastando sem investir.

Claro que há alguns que conseguem aos “trancos e barrancos” gastar mais do que recebem e ainda investir em algo que possam lhe proporcionar uma renda passiva no futuro, mas certamente não estão fazendo da maneira correta e devem viver sempre nervosos e temerosos quanto a sua vida financeira, gastando muito com juros e portanto esta não é a maneira correta de se viver a não ser que esta pessoa tenha certeza de suas rendas mensais como certas e garantidas (sem risco de perde-las), mas isso é para poucos.

Então vamos lá, eu te pergunto: por que muitas pessoas recebem muito e não tem nada e outras recebem pouco e tem muito? Se você já leu o meu artigo mencionado acima (Você ganha aquilo que você não gasta) você já entendeu bem este ponto, se não entendeu te sugiro que o leia e releia se necessário, no entanto o próprio título do artigo sugere a resposta. Voltando ao segundo ponto de dicas viver abaixo da nossa realidade financeira auferida é o que nos dá tranquilidade hoje e no futuro. Se você tem uma renda que lhe parece poder viver com tal e tal requinte mas não sobra nada para investir e você não tem uma renda certa e garantida, você precisa viver abaixo um pouco do que poderia ser o seu padrão, essa é a única maneira de você Ganhar Mais.

Para um terceiro ponto de dicas vamos afirmar agora que a tua situação financeira pode ficar boa e muito melhor. Você vai fazer sua renda melhorar e vai fazer aportes para investimentos, vamos ver essas dicas?

Procure ter Renda Extra

Entendido que você ganha aquilo que você não gasta e que você precisa viver um pouco abaixo do que a sua renda pode lhe proporcionar quanto a sua realidade de padrão de vida, vamos agora adicionar outra dica: procure ter outras rendas ativas. Como se dá isso? De várias maneiras, por exemplo, o que lhe dá prazer o que é um hobby pra você pode ser uma renda extra, pense um pouco nisso, não se preocupe que essa atividade vai lhe dar um extra pequeno, isso não importa tanto pois como diz o ditado “de grão em grão a galinha enche o papo” e além do mais você está fazendo algo com prazer e satisfação e mesmo que lhe dê só uns R$ 500,00 de extra, no fim de um ano você juntou um extra de R$ 6.000,00 e em 10 anos R$ 60.000,00 e pondo esses valores em aplicações vai lhe dar muito mais com os juros que você passa a auferir. Agora você não está pagando juros, pelo contrário está recebendo juros, “sacou”?

Eu me lembro de uma época em que se pagava pelas linhas de telefone fixo, hoje parece um absurdo mas era uma realidade, elas custavam algo como 1.000 dólares, hoje seria uns R$ 5.000,00 por baixo, nessa época eu comprava, vendia e alugava linhas de telefone, isso mesmo! Alugava-se linhas de telefone, elas ficavam no meu nome e instalada na residência do “cliente” a conta era paga pelo usuário juntamente com o pagamento do aluguel, aluguel esse que chegou a dar uns 10% de renda sobre o valor das linhas. Esse foi apenas um exemplo de uma maneira de se ter uma renda extra que funcionou para mim naquele tempo. Poderia dar outros exemplos mais triviais e corriqueiros como: fazer bolos, doces, salgadinhos, costuras, artesanatos, levar pets para passear, blogueiros, youtubers, vendas no Mercado Livre e tantas outras formas. Há quase que uma infinidade de possibilidades, depende de você “conhecer o seu tempo” e principalmente fazer algo que goste de fazer.

O Sucesso e a Renda vem aos poucos

Bem, para finalizar vamos ao quarto ponto: construção da Renda Passiva, esta é pensando no futuro, mas que também servirá no presente. Vamos a elas.

Se você leu até aqui meus parabéns! Você chegou na melhor parte e entendeu que para ganhar você precisa gastar menos do que ganha e para conseguir isso é necessário viver um pouco abaixo de sua realidade financeira e assim poder guardar mais. Além disso, se possível, melhor ainda seria poder ir fazendo uma rendinha extra. Então chegamos ao quarto ponto: temos grana para investir e construir uma renda passiva.

Precisamos subdividir este quarto ponto em algumas etapas:­

A primeira delas é a Reserva de Emergência, esta temos que ter sempre e independente da etapa de nossa vida, precisamos ter algum valor que esteja em mãos facilmente, se necessário. Este valor deve ficar em uma das aplicações com rendimentos e liquidez diária, como CDBs (certificado de depósito bancário) ou outras aplicações nas quais possamos ter o dinheiro na hora que precisarmos. Para esta situação o valor a ser deixado para a reserva de emergência depende de cada um, você encontrará especialistas recomendando entre 4 e 12 vezes o necessário para o seu gasto mensal (vamos fazer uma média e ficar com uns 8 meses) refiro-me aqui às suas necessidades básicas como moradia, alimentação, luz, água etc., ou seja, aquele valor que você precisa mesmo gastar todo mês. Vamos dar um exemplo: se você necessita por mês de R$ 3.000,00 para suas despesas básicas, você vai multiplicar este valor pelas vezes recomendas acima, na nossa média teríamos 8 x R$ 3.000,00 = R$ 24.000,00 este seria o valor que deveria ficar em reserva de emergência. Este valor só pode ser mexido em caso de emergência, ou seja, se você ficou sem renda por perda de emprego ou de sua atividade laboral (caso você seja um profissional liberal). Só preciso lembrar que esse fator de multiplicação depende de pessoa para pessoa, veja o que é  melhor para você, tem gente que só se sente seguro com uma reserva de emergência bem longa, outros com menos, o importante aqui é a sua tranquilidade em um horizonte que você possa perceber a possibilidade de renda novamente.

Visto isso, agora sim podemos começar a aportar em investimentos para construir a nossa renda passiva.

Segunda etapa comece com Renda Fixa, antes de aportar em alguns investimentos que tenham algum risco médio ou alto, você precisa começar juntando uma grana de maneira segura, com baixo risco. Por isso sugiro começar com aplicações em renda fixa, embora no momento que escrevo este artigo ela não está compensando pois estamos com a taxa de juros muito baixa, a menor da história do Brasil – apenas 2% a.a.-, o que não dá quase nada de rendimento. De qualquer maneira se pode encontrar algumas aplicações em multimercado que pagam mais, e é aí que podemos juntar uma grana para possíveis oportunidades observadas para se ter rendas extras (ativa ou passiva) como, por exemplo, comprar um imóvel que se possa alugar, um terreno para construir e locar,  ou outro investimento que você pretenda fazer e que possa lhe trazer renda.

Diversifique sua Renda e Suas Aplicações

É bom lembrar da Importância de Diversificar, ou seja, não se pode pensar apenas em um tipo de renda ativa e nem mesmo de renda passiva. Lembre-se do velho ditado: “não coloque todos os ovos na mesma cesta”, pois se uma cair ainda temos a outra intacta. Desta maneira a sua renda passiva poderá ser, por exemplo, através de imóveis alugados, aplicações financeiras como fundos imobiliários, a própria aposentadoria do INSS, e também um plano de previdência privada.

Vamos para a terceira etapa: Reserva para Oportunidades. Esta é diferente da reserva de emergência que deve estar ali com aquele saldo que você estipulou para ficar tranquilo, é também diferente da renda fixa que está tendo aportes pelo motivo de um planejamento seu para algum objetivo específico, como exemplificados acima. A reserva de oportunidades como o próprio nome diz é para aproveitar oportunidades no mercado, como aportes em fundos imobiliários e/ou ações e outras que você possa verificar que estão em um bom momento para entrar. Claro que podemos trabalhar com os valores aplicados em um mesmo tipo de renda, mas os saldos devem ser separados em sua planilha, o que é reserva de emergência e o que é para oportunidades.

Agora entramos então na Renda Variável aqui já temos um risco médio e/ou alto dependendo no que iremos investir, por isso mais do que nunca é necessária uma diversificação e cautelosa. Conheço gente que foi aportando todo o seu rendimento em ações de uma certa empresa específica pois achava que era a melhor do mundo e depois essa empresa veio a vacilar e sua expectativa foi frustrada, então essa pessoa perdeu muita grana, por isso se for investir na bolsa tem que diversificar e ficar estudando os seus aportes.

Vá aportando aos poucos todo mês um pouquinho, como disse, procure diversificar, pode ser em FIIS (fundos de investimento imobiliário) mas aporte em vários fundos diferentes e/ou ações de várias empresas estudadas por você. Neste momento de minha vida eu prefiro aplicar em fundos imobiliários, pois tendem a ter uma menor volatilidade e me dão um rendimento de aluguéis mensais e previsíveis. Mas relembro, na bolsa precisa-se estudar bem onde você vai aportar e pense no médio e longo prazo.

A reserva de oportunidade que mencionei é exatamente para se ter um dinheiro separado para quando surgir oportunidades muito boas podermos fazer os aportes extras. Claro que quando o “mercado está caro” você vai guardando e somando os valores para oportunidades e quando o mercado está dando chance de entradas aí sim você vai e aporta mais, entendeu como é simples? Mas tem gente que entra nas altas e sai nas baixas com prejuízo, assim é claro que vai perder.

Para fecharmos este texto preciso dizer que estas dicas aqui mencionadas são apenas dicas, no entanto cada um sabe o que é melhor para si e o que pretende para sua vida, apenas passei algumas dicas que são básicas e que nos podem proporcionar uma vida mais tranquila no presente e no futuro. Espero ter podido contribuir um pouquinho para as suas decisões.

Boa sorte e sucessos nos seus investimentos. Esteja à vontade para completar estas sugestões, discordar de algumas dicas aqui apresentadas e dizer como você faz o seu planejamento financeiro, deixe seus comentários, se tiver alguma dúvida sinta-se à vontade para interagirmos ok.

Abraços, Benito Pepe

Benito Pepe

Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica em: Administração de Empresas, com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião e Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

5 1 Vote!
Article Rating
Se inscreva
Avise-me de
14 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Feedbacks em Linha
Ver Todos os Comentários
Alexandre Vasconcellos de Andrade
1 ano atrás

Olá professor, obrigado pelas dicas de organização financeira!

É muito comum a falta de controle (registro) entre o que se “ganha” e o que se “gasta”, mas depois que adotei essa medida, passei a incluir em minhas despesas o “pagar-me” como uma forma de obrigação (despesa) e assim pude fazer uma reserva de emergência/oportunidade.

Atual invisto em Fundos Imobiliários para recebimento de proventos mensais (isentos de IR) e também em ações, com foco em dividendos (também isentos) e Juros Sobre Capital Próprio (JSCP) já tributados na fonte com alíquota de 15%. Parabéns pelas dicas e aguardamos outras mais.

Um abraço,

Alexandre Vasconcellos.

Carlos Henrique Aquino
1 ano atrás

Olá Benito.
Vou sintetizar a sua escrita que ficou ótima (extensa, mas bem leve)
O que vejo próximo de mim:
Muitos colocam o dinheiro no bolso e vivem aquele momento, e fica nítido que disciplina financeira é totalmente despicienda.
Muitos outros, pela falta de qualificação e/ou capacitação, não conseguem poupar de maneira alguma.

Enxergo que a grande maioria da população não se preocupa em economizar e muito menos “pensar no dis de amanhã”. Se ponderarmos a grosso modo, não é por acaso que os bancos sempre lucram com cartões de crédito, cheques e empréstimos.

Abração

Carlos Santos
10 meses atrás

Caro Carlos Henrique, meu xará… gostei do seu comentário, boas palavras e um bom pensamento. No detalhe dos bancos que lucram você disse tudo.

Att Carlos Santos

Carlos Henrique Aquino
10 meses atrás
Responder a  Carlos Santos

Obrigado, Carlos!
Grato pelas ponderações e abraços. Seguimos em frente!

Ismael Da Silva Mariano
1 ano atrás

Meu caro!Grato pelas valiosas e práticas informações .
Fazendo ao menos uma das dicas já vou melhorar muito!
Abs

1 ano atrás

Fala mestre!
Um excelente artigo em tempos atuais. Precisamos nos aperfeiçoar nesta área tão importante e necessária de ajustes constantes.
Aprender a controlar as financeiras em tempos de crise já não é mais prioridade e sim uma obrigação.
O seu artigo nós faz refletir para tomar decisões sábias e de valor em tempos atuais. Parabéns!!!

14
0
Deixe seu Comentário...x
()
x