Quem é Deus e quem somos nós?

Vou começar este texto já te pedindo uma reflexão: Você acredita em Deus? Se a resposta é afirmativa, então não viva como se Ele não existisse! Certo? Mas se você não acredita em Deus ou está se questionando sobre “Quem é Deus” para que possa crer ou não, você deve continuar a leitura.

A humanidade de uma maneira ou outra sempre buscou algo que o transcenda, ou será que o transcendente é que buscou a humanidade? Não estou afirmando a hipótese da existência de uma transcendência, estou relatando um fato histórico. Quanto à primeira situação, ou seja, o homem buscar a “Deus” ou deuses, não há o que se questionar, esse fato existe há milhares de anos. Agora e se a segunda hipótese for verdade, ou seja, Deus ou os deuses é que buscaram a humanidade?

Não vou entrar na questão da imanência ou não dos deuses, mas na hipótese de sua existência. Vamos pensar um pouco sobre a maravilha que é a Existência e a possibilidade de Ser. Neste campo é provável que somente os homens tenham essa noção tão aprofundada: pensar a vida, pensar a morte e lembrar que a vida acaba! Só damos valor verdadeiro a algo quando o perdemos, pense um pouco nisso…

Outro ponto fantástico quanto à Existência é pensarmos nas duas possibilidades mais postuladas em nosso tempo: uma científica e outra religiosa. A hipótese científica, mais recente, diz que o homem é um animal como todos os demais e que fora evoluindo e transformando-se no “ser humano” que somos hoje, neste caso é provável que continuaríamos a nos transformar e seriamos “outro ser” dentro de milhares ou milhões de anos à frente… 

Ainda dentro desta hipótese científica, poderíamos afirmar que somos “poeira das estrelas”, sim somos poeira das estrelas.  A nossa estrela o Sol é uma descendente de outras estrelas que “morreram” e ao explodir no fim de suas vidas espalharam poeira que vieram a se juntar e formar novas estrelas, que por sua vez também morreram até que surgisse o nosso sistema estelar. Este por sua vez forma o Sol, e toda a “poeira” restante forma os planetas e a matéria que forma os animais e nós próprios…

A segunda hipótese, a de um Deus Criador é proclamada por um grande número de religiões, e neste caso não há muito que se relatar, a não ser lembrar uma das hipóteses, no caso a que vem da tradição judaica cristã que diz: “Deus fez o homem do barro”, sabemos que entram na composição de nosso corpo o ferro, magnésio, cálcio, zinco, água, etc. Além disso, conservamos a vida graças a alimentos tirados da terra. A própria palavra homem vem do latim homo, de húmus (terra). E Adão quer dizer barro (do hebraico “adom” = “terra vermelha”)

Vemos então dois relatos, ambos “mirabolantes”. Dizer que viemos de um Deus criador é fantástico, como também o é a afirmativa que diz que viemos do “nada” e nos transformamos nesse “ser pensante” que somos, e isso vindo de “poeira das estrelas” e do acaso… Como se observa há aqui um ponto em comum e interessante, ambas as hipóteses postulam que viemos de uma “poeira”. “Do pó viemos e ao pó voltaremos”.

No entanto há uma diferença substancial entre as narrativas. Enquanto a narrativa científica é transformadora, mas finita, a narrativa religiosa trás uma eternidade embutida. Este é o “sopro de vida” em nossas narinas. Deus nos deu essa vida, colocando no corpo que Ele criou nosso espírito, nossa alma.  Vejamos a narrativa bíblica da criação do homem em Gênesis, 2,7:

Então o Senhor Deus for­mou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente.

Boa reflexão e permaneça com a poeira que te compreende…

Leia também o texto “O homem e a Natureza: uma dádiva? Um acaso? E o Ocaso?” Esse texto tem relacionamento com o que você acaba de ler.

Abraços, Benito Pepe.

Benito Pepe

Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica em: Administração de Empresas, com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião e Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

5 1 Vote!
Article Rating
Se inscreva
Avise-me de
24 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Feedbacks em Linha
Ver Todos os Comentários
Fábio
7 anos atrás

Como sempre, um texto convidativo à reflexão.
Abraços,

jose maria dias
7 anos atrás

Olá meu caro Benito! No meu mode de pensar. Vou partir de um princípio, deuses existem muitos, ou seja, cada religião ou seita, cria o seu próprio deus, seja ele de barro, madeira, pedra, metais e até de ouro.( Todo meu respeito pelos adeptos de cada religião e sua fé).
Em tudo existe um comando, seja de humanos, e porque não dizer também de animais, existe uma liderança, ou seja, um determinado ser que exerce o poder de chefiar e ordenar tudo aquilo à ser feito. E logicamente o mundo não poderia ser diferente, teria e tem, que haver um Ser Supremo para comandar toda esta complexidade em que vivemos. Não vou adentrar no mérito da questão de como cada religião acredita em seu deus, mesmo porque não tenho este direito.
Acredito sim, que somos comandados e guiados por uma força superior, que se encaixa em nossas mentes, esta força é transmitida por um Ser Supremo, ou seja, o verdadeiro e único Deus Vivo que tem o poder de comandar tudo e todos, tem o poder de transformar um simples grão, em uma árvore que nos dá o fruto para saciar nossa fome, coisa que os deuses criados pelo homem, jamais poderá fazer As religiões afirmam que Deus criou o homem conforme a sua imagem. Não acredito na existência de um deus conforme a imagem do homem, mesmo porque, Deus não poderia ter a semelhança do homem, já que este é sua criação, é o mesmo que perguntar, e quem criou Deus? A resposta é simples, Deus não é criação, Deus é uma força Cósmica Eterna,que vem dos universos infinitos e comanda tudo e todos.
Quanto a nós! Não passamos de mero acumulado de partículas formados de uma forma ou de outra pela vontade do Criador, que nos permite vivermos por algum tempo neste planeta, para depois voltarmos a ser poeira transformadas em átomos perdidos no universo. Deus busca a humanidade e dar-lhe o livre arbítrio, porem a humanidade esquece de Deus, ou melhor, só lembra que existe um Ser Supremo nas horas de aflições ou da dor. Para mim as duas hipótese da nossa criação são idênticas, pó e barro dá no mesmo. O mais importante é vivermos ciente de que existe um Deus olhando por nós, e este Deus é um Deus vivo e misericordioso em todos os sentidos. E neste momento rogo ao mesmo, que te cubra com uma chuva de bençãos. Um abraço do amigo J.M.Dias

Maria Augusta
7 anos atrás

Prezado Pepe,
Penso como Nietzsche que verbalizou que os homens precisam da religião como uma forma de controle, visto que ela impede certas atitudes que o homem as praticaria sem escrupulos caso dependesse apenas das leis humanas impedi-lo. Ou seja, há aqueles que não temem a justiça humana mas teme a justiça divina e por isso atem-se a determinado comportamento com medo de uma punição de Deus. Este pode ser encarado como o lado positivo da religião, mas como tudo nesta vida, há também o lado negativo, que no meu ponto de vista são em maior quantidade. Como por exemplo, o fanatismo, a crença em dogmas não comprovados, o comportamento de fazer ou não coisas levando em consideração a doutrina ao invés do pensamento pelo bem comum entre outros. E isso me leva a pensar também que Deus, assim como a religião é a criação de nossas mentes, pois o ser humano tende a necessitar de acreditar em um ser/alguém superior a si, para justificar coisas sem explicação, e recorrer a esta força quando precisar justificar a si proprio.

Abraços.

24
0
Deixe seu Comentário...x
()
x