São Sebastião Padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro

Provavelmente São Sebastião, Padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro, nasceu em Narbonne. Foi martirizado em 20 de Janeiro de 288. Os pais eram oriundos de Milão, na Itália do século terceiro. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço, recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos. O seu nome deriva do grego sebastós, que significa divino, venerável (que seguia a beatitude da cidade suprema e da glória altíssima).

Sebastião era forte e saudável

Ao entrar para o serviço no Império como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. Não demorou muito tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos Cristãos, pois sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos, porque o imperador adorava os deuses – ele protegia os Cristãos. Os cristãos não adoravam os diversos deuses, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Secretamente Sebastião conseguiu converter muitos pagãos ao cristianismo, até mesmo o governador de Roma Cromácio e seu filho Tibúrcio, foram convertidos por ele.

Esse ministério o levava a consolar os Cristãos que eram presos, de maneira secreta mas muito sábia, proclamava uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.

São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado e como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida. O coração de São Sebastião tinha esse desejo: tornar-se mártir.

Sebastião é denunciado por ser Cristão

Um apóstata denunciou-o para o Império e lá estava ele, diante de um imperador muito triste, porque era uma traição [ao Império], mas ele deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço, denunciando o paganismo e a injustiça.

São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele.

Sebastião não morre na primeira tentativa com as Flechas

Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288 foi duramente martirizado. Portanto São Sebastião foi levado duas vezes ao martírio em nome de Cristo.

A primeira sentença dada pelo imperador romano Diocleciano, como vimos, foi amarrá-lo e flechá-lo até a morte. É recolhido semimorto pelos cristãos,  que o levaram para casa e curaram-lhe as feridas. Recuperado, retorna ao imperador para reafirmar sua fidelidade a Cristo. Diocleciano, cheio de cólera, o condena à morte por espancamento, morto a pauladas. Outra Cristã recolhe o corpo do herói da fé e o sepulta com a veneração devida aos mártires, nas catacumbas, que haveriam de ser conhecidas pelo seu nome.

São Sebastião foi um grande missionário do seu tempo, levando o nome de Jesus a todos, fortalecendo os que estavam cansados e abatidos pela perseguição religiosa daquela época.

Em 1565, foi escolhido como Padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro.

São Sebastião continua a nos falar através do exemplo de sua vida e de sua morte. Ele foi um grande missionário de seu tempo, levando o nome de Jesus a todos, fortalecendo os que estavam cansados e abatidos pela perseguição religiosa daquela época.

Então…

Que a lembrança e rememoração de sua vida nos fortaleça no testemunho cristão em meio às adversidades da vida, que nem mesmo o desamor, a maldade e a violência possam vencer a nossa fé. Olhando o exemplo de São Sebastião, possamos dizer cada vez mais: “Quem nos separará do Amor de Cristo? Pois, se Deus é por nós, quem será contra nós?

Oração a São Sebastião:

São Sebastião / corajoso missionário em tempos difíceis, / testemunha do Evangelho através da própria vida,  / dedicado amigo dos cristãos perseguidos, / protetor contra a violência, as doenças e as guerras! / São Sebastião, / Padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro, / intercedei por nós junto ao Pai / a fim de que, inspirados por vosso testemunho, / nos tornemos a cada dia / firmes no caminho do bem, / perseverantes na prática das virtudes, /  fies mensageiros do amor de Deus, / construtores da justiça e da paz, / consolo e ânimo dos que sofrem, /  defensores dos aflitos, / solidários na dor e nos tormentos, /  instrumentos constantes de evangelização. / Amém.

São Sebastião, rogai por nós!

Abraços do Benito Pepe

Benito Pepe

Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica em: Administração de Empresas, com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião e Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

5 2 Votos.
Article Rating
Se inscreva
Avise-me de
2 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Feedbacks em Linha
Ver Todos os Comentários

[…] como um dos mais proeminentes santos militares, da mesma maneira que é São Sebastião. É o Santo Padroeiro em diversas partes do mundo entre elas: Inglaterra, Portugal, Geórgia, […]

[…] termos a vacina e a vacinação no Brasil já a partir de janeiro, talvez já no dia 20 de janeiro (a propósito dia de São Sebastião). Se considerarmos um prazo médio teríamos a Vacinação em Fevereiro, e em uma visão mais […]

2
0
O que Pensa? Deixe seu Comentário.x
()
x