Ser ou Ter? Este é um grande Dilema para muitos

Ser ou Ter? Conflito que nos persegue por muito tempo em nossa vida. Esse dilema começa e passa pela cabeça de muitos jovens quando vão ingressar em uma universidade. Eles pensam e repensam, conversam com seus pais e amigos e querem saber: “o que dá dinheiro?” Um dia desses encontrei com um dos meus alunos universitário que me disse: “professor eu curto muito esse negócio de astronomia, céu, universo, mas me disseram que “isso não dá grana”, é verdade?” Esse é o problema, estamos sempre nos perguntando o que vai nos dar “grana” a fim de Ter e não o que vai nos possibilitar Ser.

Outro dia, um amigo conversando comigo disse-me que encontrou com um conhecido dele que lhe dissera ter feito várias extensões e pós-graduações; então o meu amigo me disse: “é, ele fez várias extensões e pós-graduações, e eu fiz vários quitinetes, apartamentos e prédios.” È claro que essa pode ser uma afirmativa e tentativa de consolo por uma suposta frustração no rumo da vida que meu amigo levou. Essa afirmativa pareceu-me uma maneira de encontrar “conforto” ao saber do rumo da vida do seu colega.

É claro que precisamos ter conforto, bem estar, uma boa casa, condições para viajar e dar conforto a nossas famílias. Mas há um problema com o ser humano que é o da busca interminável… Sempre desejamos mais e mais…  E esses desejos podem tornar-se impulsivos, seja em qual verbo for: Ser ou Ter. Então os desejos podem tornar-se incontroláveis.

Muitas vezes quando queremos Ter, vamos buscar isso incessantemente e queremos Ter cada vez mais. Muitos não medem seus esforços e dedicações para Ter e Ter cada vez mais e mais bens matérias e dinheiro que lhe tirarão até mesmo a saúde… Assim esses indivíduos gastam a sua Vida para ter Dinheiro e depois gastam o dinheiro para tentar ter novamente a sua Vida (e/ou a Saúde) que perderam…

Outros buscam cada vez mais Ser e Ser, simplesmente para poder Ser, alguns se esquecem de que a Vida neste planeta, em um mundo quase que totalmente ocidentalizado, precisa-se também de Ter, portanto é muito mais difícil poder Ser sem Ter, até porque, nessas condições capitalistas, só é possível, ou mais provável  Ser quem Tem!

Como adquirir bons livros, assistir a bons filmes, ver bons programas culturais em canais fechados de TV, fazer viagens pelo mundo e visitar suas milenares e diversas culturas, fazer cursos e especializações etc. se você não tiver condições financeiras para isso, como fazer?

Mas, Ter o que? Ser o que? Quanto ao fato de Ter, é claro que está óbvio que estamos pensando em Ter condições financeiras abastadas. Mas e quanto ao Ser? Ele não se resume em sermos cultos, sermos detentores de um conhecimento especial ou genérico. Tudo isso pressupõe também Ter, pois teremos que Ter conhecimento, teremos que Ter uma vasta sabedoria, que muitas vezes se dão pelos livros, pela prática laboral, pela experiência de Vida, etc.

Quando me refiro ao Ser, estou indo muito mais longe… Pretendo mergulhar em mares mais profundos. Refiro-me a Mudanças, Colaborações e Transformações de Vidas ou da Vida. Ser, neste contexto, é algo Eterno, é algo que não finda como uma construção material. Até mesmo as pirâmides do Egito ou as construções Maias, precisarão ser retocadas ou sucumbirão um dia. Mas os conhecimentos dos Seres que nos deixaram, por exemplo, a possibilidade da Fala, o Andar Bípede, o Fogo e o Filosofar, serão eternos para a humanidade, estes transformaram a humanidade.

Não há como destruir estas modificações comportamentais do Ser. Diferentemente de muitos catastróficos que defendem a ideia de involução humana, eu defendo a ideia de Evolução em todos os sentidos. O homem é um Ser que está em processo de desterritorialização, está deixando sua animalidade e entrando em um processo de humanização, mas ainda estamos muito longe de podermos Ser Plenamente. Tenho Fé no ser humano, acredito que vamos sofrer muito ainda buscando Ter e Ter, mas aos poucos vamos buscar Ser. E um dia, de alguma maneira, o homem poderá voltar às suas origens quando ainda simplesmente eram homens-naturais, sem Nada Mais além de Ser Homem. Viviam em harmonia com a natureza, se percebiam como imanentes ao mundo e como os demais animais que vivem à sua natureza e por si só São.

Enquanto isso, vamos tentar conciliar o Ser e o Ter, pois neste momento não há como pensarmos em apenas um verbo. Se você pensar só em Ter, você nunca Será, e se você pensar só em Ser você também nunca Será…

Abraços, Benito Pepe

Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário por 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

17 comentários em “Ser ou Ter? Este é um grande Dilema para muitos

  • em
    Permalink

    Esta é uma questão que hà muito tempo fica na minha mente: queria ser primeiro e depois ter, mas como estes dois estão muito dificeis , gostaria de fazer um curso com você Pepe. Tem cursos por internet? Obrigada, Lena

  • em
    Permalink

    Olá Lena! O difícil é sempre o “primeiro passo” depois que se aprende a andar, queremos correr e assim vamos seguindo a vida…

    Quanto a cursos on line ainda não pensei no assunto, mas você pode montar um grupo com poucas pessoas e fazermos um grupo de estudos e debates, que tal?

    Abraço, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Benito, muito bom este teu debate. Eu mesma no dia que decidi ter a formação que sou, nem por um momento pensei no lado financeiro, queria era poder ajudar as pessoas. E é até hoje o meu trabalho. Sou muito feliz pois foi isso que me passou meus pais ter uma formação por amor e não por interesse.Salutações Marilza.

  • em
    Permalink

    Olá Marilza, muito bacana! Parabéns e que a Felicidade permaneça sempre com Você.

    Abraço, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Meu Caro amigo Benito,
    Brilhante seu artigo e suas ponderações. É realmente um dilema que persegue o ser humano. Mas é algo de positivo. A semente da insatisfação – no bom sentido-
    é a energia que nos move para evoluirmos continuamente. A questão do Ser ou Ter, pode parecer um paradoxo, se pensarmos que uma fere a outra. É desejável que se busque o caminho do meio, o equilíbrio. Podemos viver de maneira simples tendo apenas o necessário e estarmos satisfeitos, sem estar buscando sempre mais e mais. Essa medida da satisfação é pessoal e intransferível. Uns se contentam com pouco outros nem com muito. Bem em termos práticos, acredito que as necessidades básicas devem ser atendidas, como alimentação, vestuário e moradia. Ainda com mesmo grau de importancia, estão as necessidades de ordem emocional, como os relacionamentos saudáveis, o lazer e demais atividades prazerosas que fazem bem ao nosso espírito. Muitas dessas coisa podem ser obtidas com poucos recursos. Podemos aplicar o principio da razoabilidade. Se ter muito me faz sofrer então por que ter tanto… Usufruir do belo que está sempre ao nosso redor, que muitas vezes não o percebemos, Assim fecho este comentário com uma oração ecumenica, utilizada nos grupos de auto-ajuda que utilizam a filosofia dos AA ; Concedei-me senhor a Serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, Coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras. Um ótimo ser para todos.

  • em
    Permalink

    Maravilhoso comentário Terenzio Pepe, nada a acrescentar a não ser dizer publicamente que nossos “papos” filosóficos me encantam. Não podemos abandonar nosso chope filosófico…

    Obrigado pelo encantador Comentário!
    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Que lindo força irmão que Deus te abençoe

  • em
    Permalink

    A sociedade passa por várias transformações, sobretudo, no campo das relações humanas. Atualmente, o ser humano tem privilegiado o “Ter”, como sinônimo de grande apego aos bens materiais, e não se preocupa com o “Ser”, que se pode definir como a busca de virtudes. Dá-se maior valor àquilo que o dinheiro pode comprar, as pessoas valem pelo patrimônio material que têm e não pelas qualidades que possuem.

    Na tabela de valores, a vida está no topo, é o bem mais precioso tutelado. É preciso ressaltar a importância da família, é nesta que tudo surge e consolida, assim como a formação do caráter moral dos filhos.

    O Ser humano nasce inserto no seio familiar, estrutura básica social, de onde se inicia a moldagem de suas potencialidades com o propósito da convivência em sociedade e na busca de sua realização pessoal; Os pais, como totais responsáveis na formação moral dos filhos, onde há uma relação de equilíbrio entre o material e a moral, o “Ser” representando o afeto e o material o “Ter”.

    De forma simplificada, pode-se explicar da seguinte maneira; sabe-se que o recém- nascido obtém satisfação de suas necessidades através dos cuidados de sua mãe, ou de quem desempenha o papel. Tal atividade garante a formação das primeiras relações sociais da pessoa com o mundo e o cultivo de virtudes que possibilitem conhecer a natureza da existência no mesmo. Pais que optam por certos valores e se comprometeram com eles, cada filho que vem ao mundo não tem que desenvolver a tarefa hercúlea e problemática de tratar de descobrir, porque com valores adquiridos vale a pena arriscar e viver a vida.

    A descoberta de verdadeiros valores humanos tem uma grande importância para a motivação da vontade humana; Optar por certos valores significa escolher, entre os melhores, aqueles que mais convenham em uma família concreta com as circunstâncias atuais para o desenvolvimento pessoal de cada membro e para a melhoria familiar.

    Descrever o “Ser” e o “Ter”, é uma relação dentro de uma sociedade atual modificada pela globalização, pelo capitalismo, fazendo com que o comportamento econômico sendo desmembrado dos valores éticos e humanos, uma sociedade industrial que despreza a natureza, onde que “estar junto” e sem necessário se compreender e nenhuma necessidade compartilhada. Numa cultura em que o objetivo supremo é o “Ter” e ter cada vez mais até parece uma função normal da vida, “Ter” e “Ser” são dois mudos fundamentais de experiência, a energia de cada um determina as diferenças entre o caráter dos indivíduos e os vários tipos de caracteres sociais.

    A grande diferença entre o “Ser” e “Ter” é que se estabelece uma sociedade centrada sobre as pessoas e uma sociedade centrada sobre as coisas. A busca de um padrão humano querendo ser “mito”, conflitos interiores, falta de harmonia em relação ao corpo e pele e constante moldagem da imagem perfeita para si .

    O “Ter” quando não alçado, sua transcendência faz-se remeter a sérias barbáries, suicídios decorrentes de frações, é consequência deste excessivo rigor com que se impõe o êxito de uma cultura que não deixa espaço para erros. Há que se desencadear uma sanidade mental, suportar a pluralidade, uma limpidez de consciência que permita enxergar a realidade sem distorção, saber que as virtudes afastam o sofrimento quando ele é necessário e dão forças para suportá-lo quando ele é inevitável. Considerar as condições da existência com a vida devida sensatez, agir movido por sentimentos nobres seguindo a premissa de que foram feitas para vida, não a vida para as coisas, valorizando o código de ética que preze a amizade e encontrar a paz e harmonia que devem ser o objetivo maior do ser humano para o bem da própria humanidade.

  • em
    Permalink

    Olá meu camarada, o comentário acima foi pesquisado na internet, e por um descuido de digitação postei no texto, me desculpe e um abraço do amigo J.M.Dias

  • em
    Permalink

    Olá “Anônimo” obrigado pela força e pedido de bênçãos a Deus, eu preciso mesmo ehhe

    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Olá JM Dias, acho que o texto pode ficar aí ele certamente está bem relacionado ao meu…

    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Benito Pepe,

    Foi bom te conhecer e conhecer seu “trabalho”, muitas coisas ditas e escritas vão me ajudar muito em minha nova jornada como Micro Empreendedor.
    Grato.

    Roque Gomes
    Proprietário Sabor e Vida – Produtos Naturais e Suplementos
    http://www.saborevida.loja2.com.br
    (21) 2269-8486

  • em
    Permalink

    Obrigado Roque Gomes, o prazer foi meu!

    Pode contar comigo para apresentar uma palestra na tua empresa.

    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Boa tarde,

    Professor Benito,

    Adorei seu site blog, muitas coisas interessantes para apreendermos, irei divulga-los para todos meus amigos inclusive irei divulgar na empresa em que trabalho, que Deus te abençoe em todos os seus projetos.

    Abraços Viviane Gomes aluna da Unigranrio

  • em
    Permalink

    Obrigado Viviane Gomes! Bacana seu depoimento público!

    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Benito Pepe,boa tarde.
    Acabo de conhecer seu blog e gostei mundo.Entrei para dar uma olhada no agradecimento e me inspirar para fazer o meu, e fiquei fascinada com seus textos.Meu marido está cursando ciências sociais e está tendo aulas de filosofia.Temos discutido muito certos assuntos, como ser ou ter, frequente//.
    A descoberta do seu blog nos trará ainda mais conhecimentos e claro,discussões.

    Prazer em conhecê-lo,rsrsrsrs

    Abraços,Andréia.

  • em
    Permalink

    Olá Andréia, obrigado! volte sempre e filosofe à vontade hehe
    Abraços, Benito Pepe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.