A Fábula do Pescador e o Homem de Negócios. Procure Prosperar, mas Viva a Vida Agora!

Esta fábula que segue pode ser interpretada de maneira equivocada por aqueles que acham que a vida é só trabalhar, trabalhar e procurar enriquecer a fim de usufruir a vida depois; também pode ser interpretada de maneira equivocada por quem acha que a Vida é só o Aqui e o Agora…

Vamos ver “a Fábula do Pescador e o homem de negócios”, no final faço alguns comentários:

Um homem de negócios estava passando suas férias em uma pequena vila de pescadores. Depois de receber um telefonema que o deixou estressado ele saiu do hotel e foi para a praia esfriar a cabeça. Foi aí que observou um pescador voltando do mar em um pequeno barco com uma quantidade pequena de peixes frescos.

O homem de negócios chegou um pouco mais perto e ficou fascinado com a beleza dos peixes. Então ele deu os parabéns ao pescador e perguntou quanto tempo levou para ele pegar aqueles peixes.

“Só um tempinho”, respondeu o pescador.

“Porque você não ficou mais tempo e pegou mais peixes?” perguntou o homem de negócios.

“Eu peguei peixe suficiente para mim, minha família e até mesmo para dar um pouco para os meus amigos”, ele disse.

“Mas o que você faz com o resto de seu tempo?”, indagou o negociante.

O pescador sorriu e respondeu com um tom calmo e relaxado: “Eu durmo até tarde, brinco com meus filhos, tiro uma soneca à tarde, e à noitinha eu dou uma caminhada na praia com minha esposa, bebo uma cervejinha, e toco violão com meus amigos. Eu tenho uma vida muito gostosa!”

O homem de negócios riu e deu alguns conselhos ao pescador: “Olha, eu tenho um MBA de uma universidade de muito prestígio nos Estados Unidos e vou lhe ensinar um pouco sobre negócios. O que você deve fazer é passar mais tempo pescando e vender o peixe que você não consumir. Com o dinheiro extra que você vai ganhar você pode comprar um barco maior e empregar algumas pessoas para lhe ajudar. Logo você terá dinheiro suficiente para comprar vários barcos e eventualmente montar uma empresa.”

Ele continuou. “Olha, uma vez que sua empresa tenha crescido, você começa a exportar seu peixe. Aí você começa a vender direto ao consumidor, sem intermediário, controlando o produto, o processamento e a distribuição. Aí você se muda para Nova Iorque e emprega os melhores gerentes do mundo para lhe ajudar a crescer o seu negócio.”

O pescador aí respondeu: “Mas senhor, quanto tempo vai levar isso tudo?”

O homem de negócios formado respondeu: “Quinze a vinte anos. Vinte cinco no máximo.”

“E depois, o que faço senhor?” perguntou o pescador.

O homem de negócios sorriu e respondeu: “Aí é que vem a grande recompensa! Na hora certa você vende as ações de sua empresa ao público e torna-se muito, muito rico, com milhões de dólares em seu nome.

O pescador ainda não tinha entendido bem o propósito de tudo aquilo: “Milhões de dólares? E o que eu faria com todo esse dinheiro?”

E o negociante respondeu “Você se muda para uma pequena vila de pescadores no litoral, dorme até mais tarde, brinca com seus filhos, ou melhor, com seus netos. Tira uma soneca à tarde, e à noitinha vai dar uma caminhada na praia com sua esposa onde você pode beber uma cervejinha e tocar violão com seus amigos….”

Mas não é isso que eu faço hoje Senhor?  Respondeu o pescador olhando fixamente para aquele belo mar.

Bem, há muita gente perdida fazendo algo que não lhes dá prazer, procurando o prazer e a satisfação no futuro. Em contra partida há também pessoas que estão deixam a vida passar e não procuram prosperar a pesar das possibilidades o permitirem.

Não precisamos radicalizar e interpretar esta fábula ao pé da letra. Não podemos desperdiçar as possibilidades de vigor e oportunidade que temos hoje para prosperar. No entanto, por que não procurar fazer o útil e o agradável? Ou seja, fazer algo que nos dê prazer e ao mesmo tempo possa ser feito com satisfação. Certamente a prosperidade também virá e de maneira tal que a sua vida terá outra perspectiva desde já.

Trabalhar e não viver o agora é um erro gravíssimo, tanto quanto trabalhar fazendo aquilo que não se ama só porque quer ganhar mais dinheiro. Pense o futuro, mas não esqueça o presente, aliás, o nosso momento de hoje, o agora, é chamado de “Presente” não é à toa, Ele é um presente pra gente. Portanto seja grato por este presente e o Viva Intensamente e Agora.

Abraços do Benito Pepe

Related posts:

  1. A Fábula do Rato e uma Analogia com o Ambiente de Trabalho
  2. A Fábula do Vendedor de Cachorro-Quente e a Crise
  3. O Feedback na Empresa e em Nossa Vida Pessoal
  4. A Fábula da Perereca e o Mastro
  5. Construindo Pontes ao invés de Muros
  6. Voltamos à Caverna, mas agora ela é high-tech
  7. Quatro Cegos e a Avaliação de um Elefante. Como cada um o vê?
  8. O Entusiasmo não deixa o Trabalho Cansar
  9. O Melhor Aprendizado é através da Prática ou da Teoria?
  10. A Criatividade do Homem Brasileiro é Fantástica!

Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário por 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

9 comentários em “A Fábula do Pescador e o Homem de Negócios. Procure Prosperar, mas Viva a Vida Agora!

  • em
    Permalink

    Meu querido amigo Benito, uma das sabedorias mais importante para mim, é sabermos juntar, o útil ao agradável. Do mais a mais, não devemos procurar colecionar tesouros apenas nesta terra, porque os ladrões podem rouba-lo e seu tesouro pode envelhecer. Além disso, não devemos esquecer que, quando partirmos da terra, aqui deixaremos tudo, até o nosso próprio corpo, Então porque ser avarento? Temos que colecionar os tesouros das boas obras, do bem que praticamos em beneficio do próximo , porque essas riquezas nos acompanharam além-túmulo. Meu sábio amigo Benito, devemos saber viver os belos momentos da vida, temos que aproveitar os minutos de alegria, sem pressa de novamente mergulhar nos trabalhos agitados, devamos gozar amplamente nosso repouso espiritual, temos que olhar as paisagens contemplarmos as estrelas, apreciarmos os caprichos da natureza, colhermos em todos os canteiros as flores da alegria! Temos que viver integralmente os belos momentos de nossas vidas. Esta fabula me faz lembrar de um filme, em que um milionário, numa viagem de lazer em seu iate particular, naufraga numa tempestade, indo ele sozinho, dá numa ilha completamente desabitada, o sujeito faz de tudo para sobreviver. Até que um belo dia resolve fabricar uma embarcação tipo uma jangada com troncos de arvores. Porém ao afastar-se da ilha, fica a deriva no meio do mar até ser socorrido por um navio, que o leva ao continente, e logicamente ao seu império milionário.
    As pessoas, não acreditam que aquele sujeito seja o mesmo, pois já se passaram mais de dez anos, e até sua mulher havia se casado com outro. O camarada desiludido com todo aquela agitação, junta suas roupas e outros apetrechos e programa-se para voltar à vida de habitante solitário da ilha, pois sente saudades dos peixes que ele mesmos pescava, e do convívio com a natureza. É meu amigo, o homem de negócio troca tudo, pela vida de pescador, mesmo sendo solitário, em um recanto perdido no meio do oceano. Só não posso te afirmar meu amigo, se o enredo deste filme é uma fábula, ou fato verídico. A verdade é que te desejo um forte abraço, e te afirmar com todas as letras, que uma das coisas que mais eu gosto é comentar os seus textos, e que Deus te abençoe.

  • em
    Permalink

    Valeu meu amigo JM Dias, é também com prazer que leio teus comentários, volte sempre e comente todos os textos que queira, você sempre os enriquece.

    Abraços do Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Muito boa fábula e um excelente comentário. Acredito que esta fábula tem haver com o texto que você escreveu “O tempo está passando mais rápido?”, ou seja, por vezes desperdiçamos nosso precioso tempo com coisas que não acrescentam nada em nossas vidas e depois não conseguimos fazer aquilo que realmente é essencial e que vai fazer toda a diferença. Aí temos a sensação que o nosso tempo está pequeno onde na verdade precisamos priorizar o que realmente tem valor: a começar com as coisas lá do alto aprendendo a servir como nosso próprio mestre Jesus ensinou. Precisamos também dar atenção a familía que é o propósito eterno de Deus onde podemos usufruir de momentos mágicos e preciosos. Depois destes não podemos esquecer daquele que é o principal vilão de nosso tempo: o trabalho. Mas muito cuidado!!! …ninguém morre porque trabalhou muito tempo, mas o excesso pode enfraquecer relações de amizade, de afeto e amor!
    Forte abraço,
    Pedro Berto
    Texas Treinamento Empresarial

  • em
    Permalink

    Olá Pedro, obrigado pelo excelente comentário. Preciso esclarecer que este texto não tem a ver com o meu artigo “O tempo está passando mais rápido?” http://www.benitopepe.com.br/2008/12/02/o-tempo-esta-passando-mais-rapido-2/

    Pode ter um pouco a ver com este: “O Tempo é uma questão de priorização” cujo o link é este>> http://www.benitopepe.com.br/2011/10/16/tempo-e-uma-questao-de-priorizacao/

    No mais é isso mesmo que você disse! Em outras palavras, cada tempo tem o seu tempo, há tempo para plantar e tempo para colher….

    Abraços do Benito Pepe

  • Pingback: A Fábula do Pescador e o Homem de Negócios. | Trilhando7

  • em
    Permalink

    desculpe-me ma tava chato muita coisa para ler

  • em
    Permalink

    As vezes eu esqueço de vive o dia de hoje pois estou preocupado com o amanha e não curto o dia e sofro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.