A Felicidade e a Alegria não devem ser violadas corrompidas mexidas!?

Muitas vezes alteramos nosso estado “Feliz” de Espírito simplesmente pelo fato de querer melhorá-lo. Pensamos que sempre podemos mais e mais, essa é a dinâmica da sociedade capitalista em que vivemos. Nunca estamos totalmente felizes nem alegres com nosso status quo, a nossa realidade pode, ainda que satisfatória, nos perturbar, seja por nossa realidade anterior mais “satisfatória” seja por observação da realidade de outrem, e esta é a questão, ou será uma afirmação? A Felicidade e a Alegria não devem ser violadas, corrompidas, mexidas!?

 Cada um de nós dá uma desculpa pelo motivo de sua “atitude insatisfatória” no presente. Por exemplo, uns vão dizer que é melhor gastar viajando ou fazendo isso ou aquilo do que gastar com médicos e com sua saúde. Outros vão dizer, fulano viveu a vida toda e tudo que construiu ficou aí, pois não viveu a vida, só pensou em trabalho, trabalho e mais trabalho. Outros ao contrário vão pensar: é melhor eu poupar e guardar meu dinheiro para um momento difícil em que eu possa precisar…

 Cada um tem sua desculpa, seja ela para gastar ou para guardar. O que quero enfatizar não é a desculpa que usamos para fazer algo, mas sim a desculpa que damos para deixar de fazer algo que nos satisfaçam, desde que evidentemente seja necessário.

 Quando estamos em um estado de felicidade e/ou alegria devemos evitar mexer na situação. Para isso lembremo-nos de uma equipe de futebol. Quando o time está ganhando não deve ser mexido, como dizem: “Time que ganha não se mexe”. É claro que se houver necessidade de mexer no time, seja por contusão, por expulsão etc., aí não tem jeito, mas esteja certo que vai mudar o status quo, e então mexemos na “alegria” do momento. O que virá não se sabe…

 Devemos distinguir Alegria de Felicidade. Para um melhor entendimento destes termos vou dizer que entendo Alegria como algo mais passageiro, um fato, algo que nos dê alegria momentânea. Por exemplo, um momento com amigos batendo “papo”, um churrasco ou uma festa é normalmente um momento alegre. Embora muitos vão dizer isso é a Felicidade, eu prefiro chamar a Felicidade de algo mais duradouro. Essa é a distinção que quero fazer.

 Um dos grandes problemas da humanidade contemporânea no mundo ocidental é a vida frenética e desenfreada, sempre estamos dizendo que não temos tempo pra nada. Aliás, quem não tem tempo para a Vida não tempo para Viver. Para uma completa felicidade é preciso ter o tempo para plantar, o tempo para colher e o tempo para “curtir” a terra, descansar, enfim re-viver, tanto a terra como nós mesmos, aí está o segredo da Felicidade.

 Precisamos sair da Rotina. Sempre achei que a rotina “come” o nosso tempo, mas alguns vão dizer há uma contradição entre sair da rotina e não mexer no time que está ganhando, então vou dizer: Saia da Rotina, mas sem mexer no Time. Como fazer isso?

Vejamos uma mensagem extraída do livro “O Mensageiro”:

Arranje um tempo para trabalhar.
É o preço para alcançar a vitória.

Arranje um tempo para meditar.
É a fonte da força.

Arranje um tempo para brincar.
É o segredo da juventude.

Arranje um tempo para ler.
É o fundamento para o saber.

Arranje um tempo para a devoção.
Ela limpa o pó mundano dos nossos olhos.

Arranje um tempo para os amigos.
Eles são a fonte da felicidade.

Arranje um tempo para amar.
O amor é o maior sacramento da vida.

Arranje um tempo para sonhar.
Os sonhos levam nossa alma até as estrelas.

Arranje um tempo para sorrir.
É o meio para aliviar as cargas que temos que levar.

Arranje um tempo para planejar.
Aí, então, terá tempo para as nove coisas acima.

 Espero que esta pequena mensagem possa te ajudar, ela me ajudou muito e sempre me ajudará, pois defendo a Ideia do Sair da Rotina como meu status quo, dessa maneira e é assim para mim: Buscar dividir o tempo com atividades e lazeres diversificados. Mas se para você teu status quo é diferente e você está feliz com ele não o mude, não mexa no time, entende? Time que ganha não se mexe! Mas se teu time não está ganhando mexa nele, mude seus hábitos, crie atividades diferentes das que você faz hoje, busque novas amizades, isso não significa que você deve abandonar as antigas, não! A não ser que sejam “amizades” que não te acrescentam nada e nunca te acrescentaram…

  Outro ponto que quero enfatizar é a tal da “felicidade” relativizada. Essa é uma felicidade por inveja, ou seja lá o nome que queiramos dar. Quando estamos comparando o nosso status quo com os de outras pessoas, estamos relativizando nossa vida, aliás é isso o que o sistema capitalista mais aprecia, isso gera competitividade, concorrência, consumismo etc. Esse é o motor do capitalismo, sem isso o sistema não funcionaria pois gerar-se-ia uma “acomodação” e posterior “assimilação” tanto nas empresas quanto no consumo.

 Para justificar esse argumento vou mencionar uma pesquisa feita nos Estados Unidos, o maior símbolo do capitalismo na atualidade. A pesquisa perguntou a diversas pessoas o que elas prefeririam: ganhar 50.000,00 dólares por ano enquanto todas as outras pessoas ao seu redor ganhassem 25.000,00 dólares, ou ganhar 100.000,00 dólares enquanto as demais pessoas próximas ganhariam 200.000,00 dólares.

Você imagina qual foi a imensa maioria das respostas? Isso mesmo a grande maioria preferiria ganhar menos, desde que esse menos fosse o dobro dos seus visinhos. Isso é “Felicidade” relativizada e está pautada na Inveja, ou seja lá o nome que você queira dar.

 Caro amigo leitor se não nos pré-ocuparmos em relativizar nossa Felicidade, se dividirmos o nosso Tempo como na mensagem acima, se não pensarmos em mudar o nosso Status Quo, quando em Felicidade.. Então estou certo estaremos e Seremos Felizes. A alegria é Estar… A Felicidade é Ser!

O texto A Felicidade e a Alegria não devem ser violadas, corrompidas, mexidas!?, Merece seu comentário? o que você achou, deixe-me feliz com um depoimento ou comentário.

 Abraços do Benito Pepe

Benito Pepe

Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica em: Administração de Empresas, com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião e Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

5 1 Vote!
Article Rating
Se inscreva
Avise-me de
10 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Feedbacks em Linha
Ver Todos os Comentários
terenzio pepe
10 anos atrás

Este é um tema recorrente na comédia humana. A busca pela felicidade. Serei conciso e objetivo. Apenas uma pergunta para reflexão: A busca frenética pela felicidade, contribui cada vez mais para dificultar o seu atingimento. Eis o eterno paradoxo.

José Henriques
10 anos atrás

Prezado amigo Benito,
A matéria supra por mim lida mostrou-me uma realidade atual, onde revela-se as divergências existentes nas inúmeras maneiras de pensar do ser humano. Entendo que no ponto de vista social ela esclarece com nitidez os veios em que a mente humana pode tomar como destino, isso nos revela quem somos e o que queremos. O “status quo” de um individuo é mantido por sua auto capacidade de desenvelvimente e sobre tudo criatividade; no mundo tão contundente e globalizado vale colocar o pensamento sempre em evidencia a fim de que o ósseo mental esteja distante do realismo daquilo que o pensamento pode desenvolver. Quem pensa trabalha, e quem trabalha desenvolve cada vez mais seu nivel intelectual e sobre tudo adquire conhecimentos para o seu desenvolvimento cultural.
Forte abraço subescrevo-me com cordiais saudações.

Antonio
10 anos atrás

Cara, gostei de ver vc escrever sobre a distinção entre ALEGRIA e FELICIDADE. Achei que você incorreu no mesmo erro que todos cometem, tentando explicar uma usando a outra como exemplo. Na minha opinião, ambas são uma só coisa. Não existe FELICIDADE sem ALEGRIA e vice-versa. Talves até em algum idioma nem existam estes termos em separado.

10
0
Deixe seu Comentário...x
()
x