Os três Triângulos ou Tripés da Vida

Em nossa existência há alguns tripés que podem nos acompanhar. Para a Vida plena precisamos equilibrar e saber priorizar alguns pontos: Família (e conhecimento); Trabalho; e Lazer. Aí temos o primeiro dos triângulos. No segundo triângulo notamos o problema dos “pecados” no mundo: o Dinheiro pelo dinheiro; “Drogas” como vício; e Prazeres pelo prazer. Estes são os maiores pecados que escravizam o homem. O terceiro triângulo é formado por nossas três Inteligências básicas: QI– quociente  Intelectual; QE – Inteligência Emocional; e o QS – Inteligência Espiritual.

Quando conseguimos equilíbrio em cada um destes três triângulos e harmonia entre eles, temos a base para o Sucesso e a Felicidade no planeta. É claro que a perfeição não existe, e humanamente é impossível de ser alcançada.  Alguém que consiga maximizar todos os pontos positivos dos triângulos e eliminar os pontos negativos é um Santo no Planeta (santo quer dizer separado), portanto tal pessoa é mesmo um Santo em todos os sentidos.

Dizem que há três coisas na vida que temos que fazer: plantar uma árvore; ter um filho; e escrever um livro. Todas essas três palavras estão indicando a posteridade, ou seja, a nossa continuidade, nossa eternidade, nossa memória no planeta.

Plantar uma árvore é algo que ficará após nossa morte, muitas árvores vivem séculos. O filho é nossa hereditariedade transferida e assegura nossa continuação genética. Por fim o livro é o nosso conhecimento transferido às gerações.

Na verdade poderíamos ver estas três palavras (árvore, filho e livro) de outra forma. Interprete-as através do triângulo das inteligências, ou seja, inclua a Inteligência Emocional e a Espiritual no seu pensamento. Plantar uma árvore é também admirar todas as árvores que já existiram, é como se você e os teus antepassados as tivessem plantado. Ademais todas as árvores que estão ou estiveram aqui no planeta, de fato foram plantadas por alguém, ou por um pássaro que semeou, ou pelo vento, ou pela própria natureza da qual fazemos parte e somos imanentes.

De maneira alegórica, ter um filho é admirar todos os filhos no mundo, é também admirar todos os seres vivos do planeta, como se filhos nossos o fossem.

Escrever um livro é compreender que o fazemos durante todos os dias de nossa vida. A cada instante de nosso existir estamos compondo linhas e páginas do nosso livro, a partir do momento que escrevemos o livro de nossa vida. E da mesma maneira precisamos ler os “livros” que são escritos em outras vidas por outros autores.

Para terminar poderíamos fazer algumas reflexões: como você está “plantando as suas árvores”? Como está “criando seus filhos”? E por fim, como está escrevendo o livro de sua Vida? É um livro alegre? É um livro de drama? Ficção? Terror? A revide é você quem dá!  O teu livro está sendo escrito pela maneira que você o quer escrever… mas é bom lembrar que ainda há capítulos a serem escritos, então a história pode ter um outro final, só depende de você que é o seu autor.

Abraços, Benito Pepe

Veja também “Os quatro Pilares da Vida

Related posts:

  1. Devemos procurar nossos semelhantes ou os que nos enriqueçam
  2. O Feedback na Empresa e em Nossa Vida Pessoal
  3. Os quatro Pilares da Vida
  4. O Conhecimento é como uma semente de uma árvore frutífera
  5. Feliz Natal! Feliz Aniversário! O Nascimento e a Vida de Jesus Cristo!
  6. Veja alguns Destaques das 200 publicações. Parabéns ao Site: Benito Pepe!
  7. O Site/blog do Benito Pepe ultrapassa a marca de Um Milhão de Visitas
  8. A Fábula do Pescador e o Homem de Negócios. Procure Prosperar, mas Viva a Vida Agora!
  9. Os Mitos da Meritocracia e da Competitividade tanto na Escola quanto nas Empresas
  10. Quatro Cegos e a Avaliação de um Elefante. Como cada um o vê?

Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário por 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

8 comentários em “Os três Triângulos ou Tripés da Vida

  • em
    Permalink

    Ótimo texto sempre nos faz refletir.No tempo que me encontro é como estivesse
    Em coma vários anos
    Uma desistência do meu eu. Não vejo a hora de acordar e escrever meu livro vai ter várias paginas em branco.
    Abraços amigo Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Olá cara Cleide Marki! Nunca é tarde para se chegar ao clímax da história de nossa Vida… toda história tem altos e baixos, ademais o ponto forte terá mais emoções e alegrias é só confiar e começar, quem sabe agora seja a Hora!

    Abraço, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    O curioso que nos três triângulos da vida considero um delicadíssimo, que é referente a família. Por algumas vezes quem dificulta o caminhar da sua vida é justamente quem está do seu lado…e não quem está a quilômetros de distância! Só tem uma maneira quando ocorre isso (É BARATA, pode ser fácil ou difícil), é perdoar! Assim, possamos dar continuidade a citar de maneira competente o nosso livro!

  • em
    Permalink

    Valeu amigo Carlos, obrigado pelo comentário!

    De fato essa questão de família é verdadeiramente problemática. Vemos sempre na mídia situações tristes quanto a membros da própria família, mas graças a Deus isso não é regra, é sim exceção, portanto ainda temos, na maioria das vezes um bom apoio na e com a família. Queiramos ou não fazemos parte da mesma árvore, raízes etc…

    Veja também este texto:

    http://www.benitopepe.com.br/2009/05/01/mensagem-para-as-maes-para-os-pais-e-para-os-filhos/

    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Olá meu caro Benito! Vamos partir de um principio, a própria figura geométrica do triângulo já irradia mistérios, se não vejamos: os dois triângulos entrelaçados na bandeira de Israel, o triângulo das Bermudas e o perigosíssimo triângulo amoroso o qual envolve as famílias,comprova o mistério desta figura.
    Mas a vida tem que seguir, vamos em frente: Vamos começar pelo livro que temos que escrever, para mim todo ser vivente quando nasce, começa editar sua historia que fatalmente um dia vai terminar. O humano já nasce dentro de um tripé, ele é rico, pobre ou miserável, dentro deste contesto o sujeito começa escrever o seu livro, através da sua própria historia, seja ela boa,ou ruim, fatalmente ele tem algo para contar, porque nada nem ninguém,passa em branco por este planeta.
    Quanto ao filho, o problema para mim é mais complexo, pelo fato de ter muitos que não tem condições de se manter sozinho, constrói uma família e começa a colocar filhos no mundo, este indivíduo fatalmente vai ter problemas no decorrer da sua vida, pois, se o seu QI não trouxe meios para sua sobrevivência sozinho, ele jamais vai conseguir chegar em algum lugar onde possa dizer à pleno pulmões que construiu uma família, e sua hereditariedade vai ficar garantida.
    Quanto a arvore; o sujeito que nada plantou, nada tem para colher, e não pode sair por aí a reclamar maldizendo-se, e pondo a culpa de sua incompetência no mundo inteiro.
    A verdade é,que: o sujeito que nasce cresce e não marca um ponto de chegada em sua vida, é mais um no meio da multidão, não plantou não colheu, não tem livro para escrever, porque sua historia é triste e logicamente se perdeu nos três triângulos da vida.
    Bom meu amigo, se o que eu escrevi coincidiu com alguém que ler este comentário, foi mera coincidência. E mais um abraço do amigo J.M.Dias

  • em
    Permalink

    ótimas palavras que me faz refletir cada vez mais na minha existência na terra, eu já não deixava passar em branco, agora cada vez mais me dedico em ajudar o próximo e da boa educação as minha filhas, co harmonia, paz e muito amor.
    valeu mestre…

  • em
    Permalink

    Olá Anderson! Parabéns pra você! Felicidades mil.
    Abraço, Benito Pepe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.