As Rotinas do Dia-a-dia

Isto é fato, o dia-a-dia de praticamente todos nós é preenchido por inquestionáveis rotinas. E, escapar da rotina é tarefa que apenas poucos aquinhoados conseguem. É um verdadeiro golpe de sorte.

A rotina consegue estar presente nas mínimas coisas, desvalorizando sentimentos, ações e desejos de forma vil. Afinal, quem considera realmente importante uma tarefa que faz inúmeras vezes ao longo do dia. Coisas como lavar louças, beber água e até mesmo respirar nem mais são percebidas como ações importantes. Para provar esta tese, fique sem respirar três minutos e depois diga para si mesmo que esta rotina não é importante para sua vida.

No ambiente de trabalho é onde a rotina talvez esteja mais presente e institucionalizada. Tem gente que passa décadas fazendo a mesma coisa e, em muitos casos, sem nem saber para quê. Erroneamente, muitas pessoas consideram as tarefas dos funcionários públicos como o maior exemplo de rotina que possamos vislumbrar. Porém, a rotina também está presente, provavelmente até em igual forma, nas atividades das empresas privadas. Muitos são os funcionários de empresas que nas primeiras horas do dia ingerem uma verdadeira overdose de cafeína para se manter acordados e que logo após o almoço encontram até um jeitinho para tirar uma soneca. Neste aspecto, a produtividade nem é lembrada pelos funcionários, já os patrões…

Outras rotinas mais são essenciais, até mesmo amar. E, sem ilusões, é a rotina do amor que muita gente tanto deseja.

A rotina do amor, principalmente durante o casamento, pode ser percebida por pequenos gestos que a grande maioria nem percebe. Muitos maridos nem percebem quando suas esposas mudam algo em si, mas já esperam ser chamados para as refeições sabendo que seu prato e talheres estarão à mesa. Este cuidado de suas esposas, que aparentemente, é banal, é um exemplo vivo da rotina do amor. Agindo assim, as esposas mostram, simbolicamente, que não se pensam como um ser individual, mas sim como um casal, um ser dual. Verdadeiramente dois seres numa mesma rotina de vida.

Na formulação da teoria psicanalítica, Freud decodificou a chamada “inveja do pênis”, que tantas mulheres possuem, dizia ele. Na verdade, esta denominação serve para exemplificar a inveja que as mulheres têm da liberdade dos homens, até nos aspectos mais banais. Freud entendia que por isso mulheres são mais contidas em suas atitudes, assumindo uma postura de submissão. Assim, podemos entender que as mulheres são mais propensas às rotinas diárias. E, por serem mais contidas, coube-lhes as rotinas domésticas e mais insalubres da vida cotidiana.

Infelizmente, com o passar dos anos, a rotina das mulheres permaneceu ocupando grande parte de seus dias. Se hoje a mulher moderna não mais encera o chão, ela limpa o micro-ondas ou se torna escrava das academias de ginástica, pois mulheres com corpo fora do padrão tendem a não ter rotina amorosa. Uma dura verdade!

Além disso, as mulheres, não por inveja, mas por altruísmo mesmo acabam por incorporar ou viver a rotina de seus filhos e maridos, encarnando plenamente toda a rotina de seus familiares. À estas mulheres eu digo que não esperem que seus filhos e maridos reconheçam esta atitude. É lamentável, mas faz parte da rotina de vida das mulheres não serem reconhecidas por sua dedicação à família. E não sei se isto mudará um dia….

Ainda no que diz respeito ao amor, muitas relações são, de fato, destruídas pela rotina. Muitos são os manuais de auto-ajuda neste sentido e muitos são os terapeutas que sobrevivem de tentar ajudar casais a superar o obstáculo da rotina. O pior é que muitos usam a rotina como uma desculpa para “puladas de cerca”, achando que seu cônjuge, caso descubra, terá a nobreza do perdão para estes atos.

Apesar de tudo que já expus, as rotinas podem sim ser muito prazerosas. Perguntem aos avós se eles não gostam de buscar seus netos na escola, ou se as namoradas não gostam de se arrumar por horas para seus namorados, ou ainda se os professores não gostam de lecionar para seus alunos. Queiramos ou não, a rotina é a expressão do dia-a-dia de quase todo mundo, menos eu.

Farei agora uma confissão: sou aquinhoado por ter uma vida quase sem rotina! Poucas são as atividades de minha vida que eu não exerço na hora e no dia que desejo. Para conseguir isto, em determinado momento de minha vida, promovi uma verdadeira ruptura com o mundo dito “normal”. Por conta disso, hoje eu pago um alto preço, pois, além de não ser levado a sério por muitas pessoas, desperto uma visível inveja junto aos rotineiros de plantão, mesmo sendo completamente indiferente às invejas e deboches. Na verdade, o que me consola e me incentiva a continuar vivendo como eu vivo é que ninguém costuma ter inveja do que é ruim. E assim, quando me perguntam com que frequência eu publico meus artigos, eu respondo: não há uma frequência determinada, já falei sou péssimo para rotinas!

Por Alessandro Lira Braga*

Abraços do Benito Pepe

*Alessandro Lyra Braga é carioca, por engano. De formação é historiador e publicitário, radialista por acidente e jornalista por necessidade de informação. Vive vários dilemas religiosos, filosóficos e sociológicos. Ama o questionamento. È âncora e debatedor no Programa “Debates Culturais”. http://www.debatesculturais.com.br/

Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário por 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

2 comentários em “As Rotinas do Dia-a-dia

  • em
    Permalink

    Concordo com o texto do meu amigo Alessandro. O problema da rotina, além de tudo aqui exposto, tira o nosso tempo. Sim, rouba o nosso tempo, pois temos a sensação que a vida passa mais rápido, isso pode parecer um paradoxo, mas não é, pois quando fazemos tudo automaticamente não percebemos o tempo passando… É importantíssimo fugir da rotina, fazermos coisas diferentes e inesperadas, e também sem muito planejamento. É claro que muitas vezes precisamos nos organizar, mas não todo o tempo.
    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Senhor Alessandro. Existe um tempo reservado para todas as coisas na nossa vida, e para cada uma deles uma fase para executarmos determinadas experiências, e assim por em praticas as nossas rotinas, ou melhor para que as rotinas apareçam mesmo que não queiramos. Acho quase, acho quase não, para mim é impossível uma existência sem rotinas. Se olharmos a nossa volta vamos ver que tudo é uma rotina, a própria natureza nos proporciona uma das mais deslumbrantes rotinas, com suas quatros estações maravilhosas, o nosso universo infinito, é uma rotina infinita de coisas maravilhosas, a começar com o brilho do dia a dias do nosso astro rei, que todas as manhãs vem iluminar as nossas vidas, com seus raios cheios de um calor aconchegante, a noite temos uma verdadeira e maravilhosa rotina de milhões de luzes cintilantes sobre nossas cabeças formadas por bilhões de astros, que lá, formam as suas rotineiras e maravilhosas comunicação com o nosso universo.Uma criança ao nascer já entra em uma rotina diária, o adolescente é um rotineiro em todos os sentidos, o adulto nem se fala, o idoso, que é o meu caso, é obrigado a viver numa constante rotina, em fim, meu caro senhor, até certo ponto eu acho que a vida sem rotinas perde um pouco da sua graça, veja bem. Se não fosse a rotina de eu ler todos os dias este Site do meu amigo Benito, eu não tinha encontrado este seu interessante texto, no mais meus parabéns pelo inteligente assunto, e a você meu amigo Benito aquele velho abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.