A Fábula do Vendedor de Cachorro-Quente e a Crise

Era uma vez um homem que vivia na beira de uma estrada vendendo cachorro-quente. Ele não tinha rádio, TV e nem lia Jornal. Preocupava-se apenas em produzir e vender bons cachorros-quentes. Prezava muito a qualidade do pão, da Salsicha e do atendimento ao seu cliente.

Ele também sabia divulgar como ninguém seu produto: colocava cartazes pela estrada, oferecia em voz alta e o povo comprava. Quando alguém passava em frente a sua barraca ele gritava: – olha o cachorro quente especial!

Usando o melhor pão e a melhor salsicha, o negócio como não podia ser diferente, prosperava. Ele começou a formar uma clientela fiel que voltava sempre e trazia cada vez mais gente para sua barraca de cachorro-quente, até que ele construiu uma grande loja e como estava prosperando cada vez mais, mandou seu filho estudar na melhor faculdade do país.

Um dia, seu filho já formado voltou para casa. E falou ao pai:

– Pai, você não ouve rádio, não vê TV, não lê os Jornais? A situação é crítica, o país vai quebrar.

Depois de ouvir isso, o homem pensou: “Meu filho estudou fora, lê jornais e vê TV. Deve estar com a razão.”

E com medo, e a fim de economizar preocupado com a tal crise, procurou um fornecedor mais barato para o pão e as salsichas de menor qualidade. Além disso, para economizar mais ainda, parou de fazer seus cartazes de propaganda que espalhava pela estrada. Abatido pela notícia da crise já não oferecia seu produto em alta voz. Ou seja, parou de fazer sua propaganda. (e como dizia o velho chacrinha: – “quem não se comunica se estrumbica”)

As vendas, é claro, despencaram até o negócio quebrar.

Então o pai muito triste, falou para o filho:

– Você estava certo filho, estamos no pior momento de todos os tempos.

Moral da história: o marketing é fundamental para o sucesso de um negócio.

E quando falamos em Marketing, temos que nos lembrar dos 5 Ps: Praça, Preço, Produto, Pessoal e Promoção.

A Praça é o local onde seu negócio está localizado. Ele é um bom local? É adequado ao seu produto e a sua clientela?

O seu Preço é competitivo?

O seu Produto é viável, necessário e de interesse geral?

O seu quadro de Pessoal atende bem a clientela, é preparado, atencioso, simpático, sabe se comunicar, está motivado?

E por fim, e tão importante quanto os outros Ps, não adianta de nada você estar bem localizado, ter um preço competitivo, ter um produto de qualidade e necessário, ter um excelente quadro de pessoal, se você não Aparecer, ou seja a promoção é o que fará com que todos conheçam seu produto e todos os outros Ps.

Diante da situação apresentada anteriormente eu pergunto: Estamos no pior momento de todos os tempos, ou estamos deixando de vender o nosso cachorro quente?

Como qualquer problema a crise vai passar e, em curto ou longo prazo, chegará outra. Mas isso não pode nos desanimar, faz parte da vida empresarial, da economia, do mercado.

Portanto o melhor a fazer é encarar a crise de frente, mas não deixando, contudo, ela influenciar seu espírito inovador, criativo, empreendedor e produtivo; faça esquecer-se dela e dê espaço para as novas perspectivas.

E aproveitando… Vamos comer um cachorro quente? Quero dizer com isso que não podemos nos abater nos momentos difíceis, não podemos esquecer-nos do lazer e de nenhum dos outros Quatro Pilares da Vida. Deus, a família, o trabalho e o próprio lazer.

Lembro-me de uma época em que muita gente ia a Ilha do Governador (no Rio de Janeiro), para namorar e comer o famoso “cachorro-quente da Ilha”. O Silvio Santos, no programa “Namoro da TV” comentava esse fato em rede nacional. Esse sanduiche parecia uma refeição, era imenso, diferente dos outros tradicionais daquela época. Alguém inovador começou a fazer um cachorro-quente que continha uma variedade imensa de opcionais e o seu sabor era especial e um grande diferencial. Dessa maneira todos “viajavam” só para ir até aquelas barracas na beira da praia do Jardim Guanabara na ilha do Governador, pois tinham um atrativo e algo que os motivava para tal investimento.

A criatividade, a inovação, a qualidade, o bom local (praça), o bom atendimento (pessoal), o bom preço e o excelente Produto, fazem o cliente procurá-lo. Nesse caso, a Promoção também se faz de “boca a boca” e até na mídia de maneira gratuita.

Abraços do Benito Pepe

Related posts:

  1. O que é preciso para ser um bom Vendedor(a), um Vendedor de Sucesso?
  2. A Fábula do Rato e uma Analogia com o Ambiente de Trabalho
  3. A Fábula do Pescador e o Homem de Negócios. Procure Prosperar, mas Viva a Vida Agora!
  4. A Fábula da Perereca e o Mastro
  5. O Feedback na Empresa e em Nossa Vida Pessoal
  6. Conhecimentos Essenciais do Vendedor, de sua Empresa e do Mercado
  7. Quatro Cegos e a Avaliação de um Elefante. Como cada um o vê?
  8. O Entusiasmo não deixa o Trabalho Cansar
  9. Construindo Pontes ao invés de Muros
  10. Veja alguns Destaques das 200 publicações. Parabéns ao Site: Benito Pepe!

Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário por 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

16 comentários em “A Fábula do Vendedor de Cachorro-Quente e a Crise

  • em
    Permalink

    Olá meu camarada! No dia vinte e um próximo passado, eu completei exatos sete um anos, (cuidado comigo daqui pra frente). Brincadeiras à parte, vamos falar da salsicha e da crise. Com todos estes anos que Deus me deu, lembro-me do meu avô que tinha mais ou menos a minha idade, e eu era ainda rapazinho, quando ele reclamava da situação, um dia eu perguntei-lhe porque o senhor reclama tanto da crise? Ele respondeu-me; esta mesma pergunta fiz ao meu avô quando eu tinha a sua idade, dizia: que saudades daquela época em que se amarrava cachorro com salsicha, desculpe (com lingüiça). E o bicho não comia pois estava de barriga cheia.
    Já comentei em outros textos que, a propaganda, sempre foi, é será por toda vida a alma do negócio.
    É fácil vermos nos veículos de comunicação, a expansão de muitas empresas de vendas em suas especialidades, ás quais fazem da propaganda a sua bandeira de luta.
    CRISE ? O mundo por si só já é uma crise. Crise no oriente, crise no ocidente, em fim estamos no mundo de uma crise inacabável, por conta de um capitalismo, onde os capitalistas não se contenta com o muito que tem, querem mais, e muito mais.
    Cada um que faça propaganda do seu cachorro quente,,do contrário vai virar cachorro vira-latas, e as salsichas vão ser devoradas pelos cachorrões criadores de crises.
    É isto aí, meu amigo! Estou acabando outros comentários e em breve postarei no SITE, e como sempre aquele abraço, do amigo J.M.Dias.
    .

  • em
    Permalink

    Valeu poeta JM dias. Obrigado pelo comentário.
    e parabéns pelos 71… o problema é qdo chegar no 171 hehe

    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Oi Benito Pepe, esta estorinha é bem legal e mostra claramente que devemos nos preocupar sempre com a qualidade, é ela que vai trazer mais e mais clientes pra gente. Além do mais faça o que vc estiver fazendo com amor e carinho com teu cliente como vc gostaria de ser tratado. Empatia sempre! Abç Carlos Santos.

  • em
    Permalink

    Olá Carlos, é isso mesmo! Você sabe que quando estou dando uma palestra eu faço isso com o maior amor e paixão, certamente é por isso que todos gostam muito mesmo. Obrigado pelo carinho.
    Abraços do Benito Pepe

  • em
    Permalink

    sou vendedor das lojas topa tudo moveis,situada em Aguas formosas-mg,quero aprender a controlar meus animos,minhas preocupações,e que meus colegas de traballho aprendam a respeitar uns aos outros, e ñ serem falços(a),bom esse site mim ajudou muito,peço que se alguem ver essa mensagen mande uma dica para mim,eu quero ser um bom vendedor,o MELHOR se posivel obrigado.

  • em
    Permalink

    Olá! Gostei das fábulas. Se me permitir envio a história do pardalzinho que acrescentei algumas informações. Abraços.

  • em
    Permalink

    Olá Maria Amélia, claro que pode será um prazer eu publica-la aqui!

    Abraço, Benito Pepe

  • Pingback: Crise ou Crie? | Crie Soluções

  • Pingback: CRISE ou CRIE? | Crie Soluções com Roberta Moura

  • em
    Permalink

    Amigo, isso não é uma fábula, corrija o título.
    Por regra, fábula usa como personagens animais no lugar das pessoas…

  • em
    Permalink

    Olá André Lemos, muito obrigado mesmo por lembrar este detalhe, na verdade eu deveria mesmo chamar esta “Fábula” de Estória ou História, Alegoria, ou outro termo mais apropriado, você teria alguma sugestão?

    Bem, de qualquer maneira para se chamar uma “estória” de fábula ela teria que ter personagens animais (como você bem lembrou) mas também poderia ser objetos inanimados, ou mesmo força da natureza…

    Neste contexto releia com atenção este meu texto acima e veja se você consegue encontrar em outros “elementos” e/ou personagens algo que possa me permitir manter este nome como Fábula. Caso contrário retorne por favor… E mais uma vez, muito obrigado mesmo!

    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    a propaganda, atendimento, qualidade é a alma do bom negocio. Então lendo varios depoimento de pessoas bem sucedida na internet resolvi fazer um investimento no meu negocio e tentar resgatar aquilo que esta no fundo do poço. Que Deus renove minhas forças para continuar lutando sempre para que de tudo certo meu negocio.

  • em
    Permalink

    a propaganda, atendimento, qualidade é a alma do bom negocio. Então lendo varios depoimento de pessoas bem sucedida na internet resolvi fazer um investimento no meu negocio e tentar resgatar aquilo que esta no fundo do poço.

  • em
    Permalink

    Valeu Nil, boa sorte e uma grande dedicação amigo! O sucesso vem suando e soando, e orando hehe

    Abraço,

    Benito Pepe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.