A questão da confiança. Evite frustrações no Ambiente de Trabalho

Certamente uma das maiores frustrações que podemos ter é quando parte-se um laço de confiança. Há situações em o motivo pode parecer pequeno e insignificante pra quem causa a quebra de confiança, por exemplo, em manter um segredo. O segredo pode parecer “pequeno” para o detentor do mesmo, e por isso não precisa ser tão guardado. De qualquer maneira a quebra de confiança ocorre, se o segredo for revelado.

Agora, quando o segredo for de ordem comercial, é um segredo que deveria ser mantido em sete chaves, aí a situação é muito mais séria e há situações em que podem até causar problemas para quem pediu o sigilo, e neste caso haverá também a quebra da amizade ou laço de confiança pra sempre.

No entanto se você estiver certo de que o segredo não causará maiores problemas e for quebrado por você, será de bom tom comunicar para a pessoa que pediu o sigilo, que por um motivo ou outro, você se sentiu na obrigação de contar o fato, por exemplo, por causa de uma situação específica em que você se encontrava com o interlocutor. Deve-se justificar a situação ocorrida e dizer que em tais circunstâncias você precisaria ter contado o fato sigiloso. Mas, é imprescindível que, em tal situação, comunique o fato antes que a pessoa “traída” descubra por si.

Sabemos que “segredos” são difíceis mesmo se serem mantidos.  Uma pessoa conta só pra quem tem confiança e então este que recebeu o segredo conta só pra quem ele tem confiança e assim vai indo… E sabemos da história do “telefone sem fio” o segredo vai embora com boatos e diversos acréscimos ou cortes…

Quando a situação de um segredo quebrado se passa entre membros de família, seja no trabalho ou não, é situação é mais chata ainda, pois certamente uma pessoa conta pra um e aí vai pra outro e pra outro e assim ficará um clima horrível… É evidente que a coisa se espalhará e o traído que não sabia de tal situação pode ficar em uma sinuca de bico, ou seja, sem saída.

Dessa forma quando você pensar em pedir um segredo pense duas vezes e talvez seja melhor não pedir segredo, durma com ele e só o revele quando não precisar mais que seja um segredo.

Na verdade o ideal é que não tivéssemos necessidade de manter segredos, mas no campo profissional e no ambiente de trabalho há estratégias, planejamentos e planos de ações, que por um motivo obvio de concorrência, precisam ser guardados em sete chaves, para estes casos precisamos dormir com nossos planos e só os revelar quando e para aqueles que tivermos certeza absoluta que estarão envolvidos positivamente nos projetos, tanto quanto com os resultados esperados.

Abraços, Benito Pepe.

Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário por 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

4 comentários em “A questão da confiança. Evite frustrações no Ambiente de Trabalho

  • em
    Permalink

    olha confiança é tudo, não só no trabalho, mas em qualquer relacionamento social. Quando não mantemos um relacionamento de confiança, é melhor interrompe-lo. Como diz o ditado popular: antes só que mal acompanhado! Carlos Santos.

  • em
    Permalink

    Olá Carlos, obrigado pelo teu comentário. è por aí mesmo… antes só que mal acompanhado….
    Abraços, Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Olha meu amigo! A questão não é ficar só, pois não existem segredos para um só. O segredo tem que ter no mínimo dois indivíduos, daí pra frente deixou de ser segredo, mesmo porque, existem indivíduos que ficam excessivamente nervoso quando é portador de determinada coisa que careça de confiabilidade, dentro de uma instituição então! È raro o individuo que saiba de alguma coisa e permaneça calado principalmente quando acaba o expediente e a turma vai tomar uma gelada, quando a loura começa a fazer efeito, não há língua que fique preza, no dia seguinte é aquela frustração, pois o sujeito não agüentou guardar o segredo e delatou ou relatou algo pessoal ou profissional.
    Por isto volto a te dizer, a questão não é ficar sem companhia, pois o segredo entre três, tem que morrer um. O segredo só existe se alguém te contar algo e pede para você ficar calado, sozinho você não pode ter um segredo, mesmo porque, o segredo provem de alguma coisa ou acontecimento. E agora vou te revelar um segredo, estava com saudades dos comentários, e aquele abraço do amigo J.M.Dias

  • em
    Permalink

    Fala grande JM Dias! Eu também estava com saudades. Bem, já que você revelou publicamente este segredo eu também o faço: eu te admiro muito, Parabéns meu caro!

    Abraços, Benito Pepe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.