A Nave Espacial chamada Terra (ou Água)

Este é um esboço de um livro de “ficção” que escrevi há alguns anos atrás.

É sabido que nosso planeta deveria se chamar Planeta Água ao invés de Planeta Terra, pois sabemos que na verdade nosso planeta é composto de aproximadamente ¾ de água e apenas ¼ de terra, isso prova o quanto éramos limitados em nossos conhecimentos e o quanto ainda temos a aprender sobre o “nosso” vasto universo, eu digo o “nosso” pois ainda não temos uma comprovação do tamanho desse universo e pensamos que ele seja infinito e se ele não for infinito? Neste caso então teríamos outros universos? Ou o que hoje se chama outras dimensões, o que já é aceito pela maioria dos astrônomos mundiais. Quando se fala em outras dimensões estamos ampliando as 4 dimensões conhecidas para 11 dimensões; sendo 10 espaciais e uma de tempo. De qualquer maneira quando falamos em universo estamos falando em tudo o que há, tudo o que existir é o Universo.

O fato é que chamamos nosso planeta de “Terra” e isso já demonstra nossa pobreza inicial em relação ao conhecimento do mesmo, é também sabido o quanto se tem estudado sobre o nosso Planeta, suas montanhas, vulcões, florestas. Mas temos ainda outros diversos pontos da terra a estudar e tudo isso sem falar dos imensos rios e do próprio oceano que é a incomensurável maioria do planeta como já relatado anteriormente, o fundo desse oceano ainda é uma incógnita.

Vamos para a segunda parte da verdade histórica e desconhecida por muitos. Nosso planeta é uma grande Nave Espacial… como podemos provar os fatos?

Bem, Viajamos pelo universo a uma velocidade de 108.000 quilômetros por hora, ou 1.800 quilômetros por minuto, ou 30 quilômetros por segundo; e tudo isso atrás do Sol. Só para lembrar isso nada tem a ver com o movimento de giro no seu próprio eixo (o que nós chamamos de dia que tem 23,9345 horas – arredondamos para 24 horas). O movimento em torno do Sol ou seja um giro completo em volta da Nossa estrela é o que nós chamamos de ano, e leva 365,256 Dias; na realidade a velocidade que viajamos pelo universo é a velocidade em que estamos inseridos dentro da expansão do mesmo. A Terra segue atrás do Sol que por sua vez segue junto com outras bilhões de estrelas de nossa galáxia, que por sua vez seguem outras bilhões de galáxias que também por sua vez vão se expandindo e assim viajamos pelo universo sem saber nosso destino.

Uma certeza podemos ter: Viajamos pelo Universo! Quanto a isso não há dúvidas, isso é um fato e um consenso entre os estudiosos do assunto. Estamos dentro desta Nave, queiramos ou não, tenhamos medo ou não de voar. Um avião voa a “apenas” 1.000 quilômetros por hora em seus vôos comerciais. Como estamos em uma grande Nave Espacial, na verdade todos os voos de Avião que fazemos são apenas passeios dentro desta própria nave, e as viagens tripuladas ou não pelo cosmos nada mais são do que “passeios” fora de nossa nave, mas o fato é que nossa Nave Mãe é a Terra ou melhor a fatia de terra da grande Nave Água.

Uma Nave saindo da “Nave”: os Preparativos Iniciais para a Viagem

Começamos a construir a outra Nave Espacial… serão necessários longos anos e toda a tecnologia de ponta disponível e inimaginável à maioria de nós pobres terráqueos.

Nos planejamentos iniciais já se definiram quantos casais irão “embarcar” na Nave, alguns já com filhos. Entrarão sábios, cientistas de todos os gêneros, médicos, engenheiros, além é claro de pessoas para trabalhar a “horta” e toda a fonte alimentar necessária para nossa viagem.

Continuamos… Próxima postagem: O início de nossa Viagem

Abraços do

Benito Pepe


Benito Pepe

Benito Pepe: Empresário por 30 anos, Administrador, Filósofo, Astrônomo Amador, Colunista, Palestrante, Instrutor e Professor Universitário. Tem formação acadêmica na área de Administração com pós-graduações em: Administração estratégica de empresas; Marketing; Filosofia Contemporânea; e Filosofia Antiga. Publica Aqui, seus textos sobre Filosofia, Astronomia, Administração, Marketing, Religião, Assuntos da Atualidade, além de um Papo geral.

8 comentários em “A Nave Espacial chamada Terra (ou Água)

  • em
    Permalink

    Dom Benito, isto pode nem ser “estória”. Apesar do texto fazer parte de seu livro de ficção, me parece ser uma história bastante realista. Gostei! Compraria seu livro – já foi editado? Um abraço. Fábio Padilha

  • em
    Permalink

    Olá amigo Fabio Padilha, obrigado pelos seus sempre carinhosos comentários. O Livro ainda não foi publicado, na verdade eu ainda não o completei, ademais preciso de uma boa editora para publicá-lo, estou na espera aguardando o convite de uma, se você souber de alguma me indique.

    Abraços do Benito Pepe

  • Pingback:O Início de nossa viagem rumo ao universo desconhecido | Benito Pepe

  • Pingback:Primavera a estação das Flores | Benito Pepe

  • em
    Permalink

    ola benito, concordo com suas ideias, e tb acho que nao é ficçao, coincidentemente a alguns dias atras me veio a ideia , mas suspeito que seja real, que a terra na verdade é uma espaçonave artificial, fabricada por seres desconhecidos por nos , seres interdimensionais superiores nao fisicos, comecei a pensar nisso depois que vi umas materias de alex collier sobre a lua ser artificial construida pelos ets, ai eu pensei, se a lua foi construida por ets , por que nao a terra tb?
    dai essa ideia nao me saiu mais da cabeça,, e pretendo pesquisar e tentar descobrir esse misterio, foi assim que encontrei vc e sua teoria que pra mim vai mais alem.
    isso que nos pisamos pode sim ser uma obra artificial ,mas os que a fizeram, nao querem que saibamos disso , e a disfarçaram muito bem, para nao parecer o que realmente é.
    e os pilotos estao no interior da terra, sao os povos intraterrenos que tantos povos daqui da superficie ja nos falam que existem ha milhares de anos, seriam os habitantes de shambala, seres que segundo o que eu ja pesquisei sao muito poderosos , capazes de controlar mentalmente todas as forças que regem os comportamentos e movimentos da natureza, isso nao lembra muito os pilotos de naves normais daqui?

  • em
    Permalink

    Olá Witer, obrigado pelo teu comentário, solicito apenas que você releia o início deste meu texto.
    Boas pesquisas, quando descobrir algo interessante pode postar aqui.
    Abraços do Benito Pepe

  • em
    Permalink

    Bem meu amigo, este texto tem várias partes a ser comentada, vou começar primeiro pela parte do planeta ” água”, vejamos.
    Tales, nascido em Mileto, é considerado, pela tradição clássica, o primeiro filósofo. Viveu provavelmente entre o final do século VII e meados do século VI a.C. Matemático e astrônomo, previu o ECLIPSE do sol de 585 a.C. Ele afirmava que tudo era água. Segundo Tales a água ao se resfriar, torna-se densa e dá origem à terra; ao se aquecer transforma-se em vapore e ar, que retornam como chuva, quando novamente resfriados. Desse ciclo (vapor, chuva, rio, mar, terra) nascem as diversas formas de vida, vegetal e animal). Se Tales estava certo não sei. Agora se subirmos as cordilheiras do himalaia até o pico do Everest , com seus quase 9 mil metros, e descermo as fossas das marianas o lugar mais profundo dos oceanos com 11.034 metros, localizadas no Oceano Pacifico a leste das ilhas Marianas, na fronteira convergente, entre as placas tectônicas do pacifico e das Filipinas, neste lugar o homem só consegui chegar uma vez ,em 1960 através de um aparelho chamado ‘BATISCAFO” veículo submergível para exploração de águas profundas. Bem meu amigo eu juntei estes dois pontos, para mostrar que nossa nave é realmente de água, só aí temos vinte mil metros de altura em volume de água, isto sem contar os outros oceanos, rios caudalosos, mares, lagos etc. Tales estava certo, tudo é água, mais certo ainda quem afirma que o nosso planeta deveria chamar-se água.Meu caro Benito, sobre a nossa viagem espacial, você já disse tudo, honestamente não sei acrescentar os mistérios que encontra-se no meio da nossa estrada, pois para mim ela é infinita, e o infinito é uma coisa eterna, e só a Deus pertence. Um abraço do amigo J.M. DIAS

  • em
    Permalink

    Interessante meu amigo JM Dias! Essa analogia entre as “alturas e profundidades de nossa Nave Espacial” são realmente fascinantes em serem lembradas. Também é bem bacana a observação lembrada quanto ao assim chamado primeiro filósofo, Tales de Mileto, quando dizia que tudo era água, se formos pensar nos conhecimentos de nosso dia vamos notar que de fato a fórmula da água, ou pelo menos parte dela, está em todo o universo… e que também nossa nave é verdadeiramente água…

    Grande abraço e mais uma vez muito obrigado por suas observações..

    Benito Pepe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.